VRSA rejeita proposta do Partido Socialista para testagem em massa

  • Print Icon

A Concelhia do Partido Socialista de Vila Real de Santo António, lamentou hoje que o executivo municipal tenha rejeitado a proposta de uma estratégia massiva de testagem da COVID-19 à população daquele concelho.

A proposta foi avançada por carta aberta, no dia 15 de fevereiro, assinada por Álvaro Araújo, na qualidade de cidadão e candidato socialista àquela autarquia.

«Cumpre-nos esclarecer que a presidente da Câmara [Conceição Cabrita] não aceitou a proposta do Partido Socialista porque o município está mergulhado em dívidas, falido e penhorado durante as próximas décadas, resultado da gestão despesista e ruinosa do executivo PSD que ela lidera», informa hoje o PS em nota enviada à redação do barlavento.

«Infelizmente para os vila-realenses, este executivo não tem dinheiro para aderir a uma ação de testagem massiva da população, como está a acontecer em Castro Marim e em muitas autarquias ao nível nacional».

«Uma grande percentagem da população ativa daquele concelho trabalha em VRSA. Partilhamos o mesmo espaço territorial o que pode colocar seriamente em causa a eficácia do processo de testagem massiva que estão a empreender naquele concelho», lê-se ainda na nota de esclarecimento.

«Esta situação não lhe permite ajudar as famílias e honrar os compromissos prementes. A Câmara não tem capacidade para investir na saúde e no bem-estar dos seus munícipes, nas empresas, nas escolas e no turismo, que continua estagnado».

Por fim, e como se sublinha na carta aberta, «a proposta do Partido Socialista é uma proposta responsável e ponderada, defendida pelos especialistas e pelos responsáveis da saúde ao nível nacional. Esta proposta é apresentada para ser materializada em completa consonância com todas as autoridades de saúde ao nível local e regional, com quem aliás sempre colaborámos».