«Razões de saúde» afastam Mário Godinho da vice-presidência de Silves

  • Print Icon

Câmara Municipal de Silves, em nota enviada às redações hoje, segunda-feira, 23 de novembro, deu conta da renúncia ao cargo do seu vereador e vice-presidente, Mário Godinho, por «razões de saúde». Para o seu lugar, entra Tiago Raposo, que era assessor do executivo.

Começando por lamentar este momento e acontecimento, o município de Silves releva, no documento, «o extraordinário contributo dado por Mário Godinho à dignificação do Poder Local Democrático, à valorização do projeto autárquico da CDU e à causa pública, ao longo de mais de três décadas, quer como presidente da Junta de Freguesia de Silves durante sete mandatos consecutivos (1986-2013), quer como vereador permanente/vice-presidente da Câmara Municipal de Silves, de 2014 até ao presente, integrando de forma ininterrupta as listas da Coligação Democrática Unitária (CDU) e mantendo a sua militância ativa no PCP».

A autarquia elogia em Mário Godinho «a solidez de caráter, o apego a valores e princípios, a generosidade, a clarividência na análise, a dedicação, honestidade e competência, a simplicidade e a relação de proximidade com as pessoas e instituições, imbuído da preocupação permanente de servir as populações do nosso concelho, sem perder de vista o combate permanente e mais vasto pela transformação da sociedade no sentido do aprofundamento da Democracia e da Justiça Social».

Ao atual panorama político português, «onde é grande o peso da espuma dos dias, o vale tudo, a prevalência dos interesses, os embustes, o populismo, os fenómenos de corrupção e a teimosia de considerar todos os políticos iguais», faltam, na opinião do executivo de Rosa Palma, «Homens desta envergadura moral e têmpera, tendo nós a convicção e a certeza de que continuaremos a contar com a experiência, a colaboração e os conselhos de Mário Godinho, ainda que noutros modos e ritmos».