PSD propõe baixa de imposto sobre a aguardente de medronho

  • Print Icon

Partido Social Democrata (PSD) propõe baixa de imposto sobre a aguardente de medronho.

Por ser um dos maiores obstáculos para o escoamento/venda do produto, situação referenciada pelos produtores, o PSD vai propor, como medida para o Orçamento de Estado de 2021, a baixa do imposto sobre bebidas espirituosas fabricadas a partir medronho.

Desta forma a PSD pretende fixar para 25 por cento da taxa normal as taxas do imposto sobre o álcool relativas aos produtos fabricados, exclusivamente a partir de frutos do medronheiro, produzidos nos territórios do centro interior do País, no norte alentejano, no sul do distrito de Beja e na serra algarvia.

A proposta terá uma temporalidade de três anos, podendo ser pedido a sua renovação, visando obrigar à verificação da sua eficácia.

Cláudia André, deputada eleita por Castelo Branco e primeira subscritora da proposta, afirma que a medida pretende «incentivar os produtores da bebida a produzir mais e, com isto, incentivar também a produção e aproveitamento do medronheiro, árvore autóctone e espontânea da região. Tem ainda como objetivo incentivar a economia regional a partir de um produto endógeno e contribuir para o aproveitamento económico da floresta bem como a prevenção de incêndios».

Com esta medida, que será discutida em plenário na próxima terça-feira, tal como refere a deputada social-democrata, pretende-se «aumentar a mais-valia do produtor e com isto incentivar o aumento do volume de vendas contribuindo de forma a apoiar as micro empresas, produtoras da aguardente de medronho, e manter ou aumentar o emprego numa fase particularmente difícil como a que estamos a atravessar».