PS Portimão lamenta a «profunda injustiça» para com Isilda Gomes

  • Print Icon

Face aos acontecimentos dos últimos dias relacionados com o Plano de Vacinação para o vírus SARS-COV-2 (COVID-19), Partido Socialista (PS) de Portimão, fez chegar às redações um comunicado no qual lamenta «profunda injustiça» para com Isilda Gomes e atitude de «medieval de caça às bruxas» da oposição.

Em comunicado, que o barlavento publica na integra, PS sublinha que é «uma profunda injustiça não realçar o papel determinante e inexcedível que a camarada Isilda Gomes tem assumido» no combate à pandemia de COVID-19, «não se rogando a esforços para garantir que os portimonenses tenham sido poupados a esta enfermidade».

«Respostas como as Máscaras Comunitárias, Portimão Dá-Lhe a Mão, Fundo de Emergência Social, Cartão Solidário, Portimão Dá a Mão à Economia Local e Hospital de Campanha de Portimão têm o seu cunho e não teriam sido possíveis sem o seu grande empenho e responsabilidade».

Foi, aliás, «este sentido de missão e a sua experiência pessoal, que levaram a que o programa das Visitas Virtuais tenha sido implementado no CHUA Arena, e a camarada Isilda Gomes tenha integrado, na sua plenitude, a equipa que iniciou funções neste equipamento municipal ao serviço da saúde».

As notícias dos últimos dias trouxeram para a opinião pública local e nacional «questões e dúvidas sobre se os critérios de vacinação para o vírus SARSCOV-2 foram ou não violados por parte de alguns militantes que estão na linha da frente, em particular por parte da camarada Isilda Gomes».

Nesse sentido, «entende o Partido Socialista de Portimão expressar a solidariedade política para com todos os que estão nesta situação, afirmando o seguinte:

  1. Os militantes envolvidos têm pautado a sua conduta pela lisura de carácter;
  2. A camarada Isilda Gomes não pediu para ser vacinada, tendo-o sido quando a equipa que iniciou funções no CHUA Arena Portimão o foi e não se escondeu, fê-lo à vista de elementos dessa equipa;
  3. O Partido Socialista acredita no Estado de Direito, em que todos, sem exceção, têm de cumprir as normas vigentes e respeitar os direitos fundamentais dos cidadãos;
  4. Nos países civilizados, as pessoas são julgadas pelos seus atos nos locais apropriados e pelas instituições certas. Por isso, não aceitaremos julgamentos populares, sem conhecimento dos factos, lamentando profundamente a postura de quem se entretém em práticas medievais de caça às bruxas, para colher dividendos eleitorais;
  5. Consideramos inaceitável e moralmente inadmissível o uso indevido de vacinas e, por isso, foi com muito agrado que recebemos a informação que o Ministério Público e a Inspeção-Geral das Atividades em Saúde estariam já em processos de averiguações sobre este tipo de situações;
  6. E sejamos claros: se existem dúvidas, que se averigue!
  7. O Partido Socialista de Portimão não admite tacitismos, ocultações ou fugas para a frente neste processo, pelo que, considera fundamental que as autoridades competentes investiguem rapidamente e tornem público o resultado das suas conclusões;
  8. Quando isso acontecer, o PS de Portimão, como já por diversas vezes fez, saberá interpretar as consequências políticas do resultado desses processos de averiguação e tomará as decisões que melhor servirem a comunidade».

Ainda no comunicado, o PS Portimão «realça a forma determinada, abnegada, solidária e exemplar como os cidadãos e as instituições da nossa comunidade têm, na sua grande maioria, travado a batalha contra a pandemia COVID-19».

Portimão «tem sido uma referência nacional na forma como se organizou, antecipando problemas, precavendo respostas, garantindo todas as condições à comunidade na prevenção e no tratamento a esta grave pandemia. Instituições, autoridades de saúde e de segurança, agentes da proteção civil, funcionários das freguesias e da câmara municipal, autarcas e cidadãos comuns têm sido irrepreensíveis nesta luta».

«Foi assim na primeira, assim o foi na segunda e assim está a ser na terceira vaga da COVID-19. Nesta última, Portimão assumiu um valor que tanto caracteriza as suas gentes, a solidariedade».

Portimão, «cidade solidária, ativou para além das Zonas de Apoio e de Acolhimento da População, o seu Hospital de Campanha, investimento exclusivamente autárquico e, através do CHUA Arena, assumiu a imensa responsabilidade de acolher doentes COVID-19 de outras cidades portuguesas, que viram os seus hospitais lotados face ao agravamento da pandemia».

«Afastando qualquer tipo de autoelogio, salienta-se que, neste combate à pandemia, muitos são os militantes e autarcas do Partido Socialista de Portimão que têm estado na linha da frente desta luta, tendo sido preponderante o seu contributo para garantir que o impacto da COVID-19 seja o menor possível na nossa comunidade», conclui o comunicado do PS.

Recorde-se que ao longo da semana tomaram posição o PSD Portimão, o CDS-PP Portimão e o Bloco de Esquerda Portimão. Também o CHUA emitiu hoje um comunicado.