PCP vai estar em Olhão em luta contra as portagens na A22

  • Print Icon

Partido Comunista Português (PCP) realiza hoje, dia 14 de dezembro, às 16 horas, uma ação de contacto com a população olhanense para exigir o fim das portagens na A22.

João Dias, deputado do PCP na Assembleia da República, estará presente nesta ação, que terá por objetivo exigir a requalificação integral da EN125 e o fim das portagens na Via do Infante (A22). A iniciativa, que terá lugar às 16 horas, respeitará as medidas de proteção sanitária em vigor.

A realização desta ação, nove anos depois da imposição de portagens na Via do Infante (A22), «confirma a determinação do PCP na luta pela abolição das portagens nas ex-SCUT. Uma intervenção coerente ao longo dos anos, de denúncia dos contratos escandalosos que foram celebrados com as concessionárias privadas e de exigência do fim da cobrança de portagens, devolvendo a A22 às populações e colocando-a ao serviço do desenvolvimento da região», informa o Secretariado da Direção da Organização Regional do Algarve (DORAL) do PCP.

Os comunistas têm «tem apresentado sucessivamente essa proposta na Assembleia da República e, sucessivamente, PS e PSD têm votado contra. Foi isso que aconteceu uma vez mais na discussão do último Orçamento de Estado (OE) com a convergência entre PS e PSD, chumbando a proposta do PCP. Com a aprovação do Orçamento do Estado para 2021, apenas possível porque o PCP se absteve e contra a vontade do Governo PS, foi aprovada, com o voto favorável do PCP, uma proposta que aponta para a redução do valor das portagens em 50 por cento a partir de 1 de julho próximo. Esta iniciativa, apresentada pelo PSD pressupunha ainda a salvaguarda dos interesses da concessionária privada, proposta essa que foi rejeitada com o voto contra do PCP».

Como é sabido, «a imposição das portagens agravou ainda mais a pressão sobre a EN125. Uma estrada que não constitui uma alternativa à Via do Infante, antes se constitui como uma verdadeira artéria urbana em várias cidades da região. Uma situação que tem levado à luta das populações exigindo designadamente a conclusão das obras de requalificação da EN 125 entre Olhão e VRSA, a construção de diversas variantes que descongestionem o tráfego como a que há muitos anos se exige em Olhão. Também nesta matéria, seja pelas opções do governo PSD/CDS que concessionaram a requalificação desta estrada com as consequências que estão à vista, obras paradas há anos, seja pela falta de vontade política por parte dos governos PS, os problemas continuam por resolver».

«A luta pela eliminação total das portagens e pela requalificação da EN 125 está longe de estar terminada pelo que o PCP prosseguirá a sua intervenção visando a concretização desse objetivo», garante a DORAL.