PCP quer ouvir os trabalhadores do sector da Cultura no Algarve

  • Print Icon

Partido Comunista Português (PCP) promove audição pública sobre o sector da cultura e seus trabalhadores no Algarve amanhã em Faro.

A audição pública promovida pelo Partido Comunista Português (PCP) amanhã, sexta-feira, dia 30 de outubro, às 21h30 no Club Farense (Rua de Santo António), em Faro, contará com a participação de Manuel Pires da Rocha, músico, professor e ex-diretor do Conservatório de Música de Loulé, pretende recolher o testemunho dos agentes culturais da região, das estruturas, associações e coletividades, dos trabalhadores e das empresas que desenvolvem atividade neste sector.

Segundo o Secretariado da Direção da Organização Regional do Algarve (DORAL) do , «o sector da cultura na região do Algarve, no qual trabalham milhares de profissionais em diversas áreas, foi e continua a ser gravemente afetado no decurso da epidemia».

«A profunda sazonalidade que marca a dinâmica regional, decorrente de décadas de promoção da monoatividade do turismo, reflete-se transversalmente em toda a sociedade, com um impacto económico e social que tem condicionado direta ou indiretamente todos os envolvidos nas diversas vertentes da criação e a fruição cultural».

«A situação vivida desde março, no país e no mundo, veio agravar problemas estruturais deste sector, afetando particularmente os seus trabalhadores em estruturas públicas ou privadas, as empresas prestadoras de serviços e todo um conjunto de atividades que, ao se confrontarem com uma tão grande redução de público, vêm comprometida a sua continuidade», justifica a DORAL do PCP.

Assim, interessa «o apurar da realidade e o conhecer a evolução de problemas, que não foram resolvidos pelas insuficientes medidas propostas por governo e autarquias, permitirá uma melhor intervenção e construção de propostas».

Esta iniciativa é aberta a todos os interessados e decorrerá com a natural salvaguarda das medidas sanitárias recomendadas pela Direção-Geral de Saúde.