PCP fez roteiro pelo «direito ao transporte público e à mobilidade»

  • Print Icon

O «direito ao transporte público e à mobilidade» foi tema de um roteiro no Algarve com João Dias, deputado do Partido Comunista Português (PCP).

O Partido Comunista Português (PCP) promoveu um conjunto de iniciativas que contaram com a participação de João Dias, deputado na Assembleia da República e que se inserem na denúncia de problemas que atingem o Algarve, na mobilização dos trabalhadores e das populações para a sua resolução e na afirmação de propostas alternativas que respondam aos problemas mais sentidos pelos algarvios, no dia 17 de outubro.

Na intervenção que fez em Faro, João Dias destacou que «no plano rodoviário, está refém de um grupo económico privado que impõe as suas regras em função dos seus lucros ao invés da mobilidade da população. A atual oferta tem grandes insuficiências de cobertura e horários. Na ferrovia, há enormes atrasos na concretização da eletrificação e modernização da linha do Algarve e na modernização dos comboios. Não há articulação com outros transportes públicos. É preciso defender o direito à mobilidade e promover a substituição do transporte individual pelo transporte coletivo. É preciso investir no alargamento da oferta de transportes públicos e melhoria da sua qualidade, assim como no objetivo progressivo da sua gratuitidade».

Por toda a região existem dezenas de carreiras que foram suprimidas. Há localidades que estão sem qualquer tipo de transporte público, agravando o seu isolamento. A situação está a agravar-se com muitas famílias, sobretudo trabalhadores a não conseguirem suportar o aumento do preço dos combustíveis e por outro lado, sem possibilidade de recorrer à oferta de transporte público porque ele não existe.

Durante a manhã, o deputado do PCP esteve presente em Messines de Baixo numa ação de contacto com as populações que deixaram de ter acesso a um transporte a meio do dia para se deslocarem àquela freguesia de Silves.

Mais tarde esteve em Albufeira numa ação de contacto com motoristas rodoviários de passageiros junto ao terminal da EVA; às 12h30 esteve presente numa ação de contacto com as populações que também deixaram de ser servidas pelo transporte público durante o dia; às 17h00 esteve em Olhão junto à estação ferroviária para contactos com utentes dos comboios e às 18h00 participou numa tribuna pública na baixa de Faro em defesa do direito ao transporte.