PAN apoiou protesto de trabalhadores do Minipreço em VRSA

  • Print Icon

PAN apela à manutenção dos postos de trabalho em loja Minipreço do Grupo DIA de Vila Real de Santo António.

A Comissão Política Concelhia do PAN de Vila Real de Santo António (VRSA) esteve presente na manifestação com os trabalhadores da loja do Minipreço daquela cidade, e com Maria José Madeira, coordenadora regional do Sindicato do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP), pelo facto de o estabelecimento estar, neste momento, em processo de franqueamento, e ter decidido não manter os trabalhadores, sendo a alternativa a inserção dos mesmos noutras lojas do Grupo Dia.

Os trabalhadores queixam-se desta medida, alegando dificuldade de acesso e quase inexistência de transportes públicos para os novos locais de trabalho e acrescentam que esta solução é impraticável pelo facto de estarem a centenas de quilómetros das suas residências, quer pelo tempo dispensado nos percursos entre trabalho e residência.

«Vivemos num período em que as pessoas estão cada vez mais fartas do trabalho precário. Neste caso específico ouvimos casos de pessoas que estão efetivas nestes postos há anos, com responsabilidades familiares e com dependentes menores que os compelem a manter a estabilidade geográfica a nível laboral. Estes trabalhadores/as sentem-se por estes motivos pressionados/as a rescindir contratos contra vontade por não existir uma alternativa viável. É um enorme sentimento de injustiça após tantos anos de efetividade laboral. No nosso entendimento o expectável e mais razoável seria que a loja, mantendo-se no ativo, mantivesse os postos de trabalho sendo que precisará de trabalhadores para manter portas abertas, mas tanto quanto sabemos esta alternativa não foi apresentada até agora. Esperamos que o Grupo Dia encontre uma solução o mais breve possível, e que não prejudique nem a empresa, nem trabalhadores», refere o porta-voz da concelhia PAN de VRSA e comissário político distrital do partido, Saúl Rosa.

O Grupo DIA, companhia internacional de distribuição com operações em Espanha, Portugal, Brasil e Argentina apresentou um prejuízo de 63,8 milhões no primeiro trimestre de 2021.