Hospital de Faro fica sem cirurgiões durante 13 dias alerta o PSD

  • Print Icon

Os deputados do PSD eleitos pelo círculo eleitoral de Faro vão entregar, com caráter de urgência, uma pergunta à Ministra da Saúde (Marta Temido) para esclarecimentos sobre as notícias que dão conta da determinação de um grupo de 10 cirurgiões do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA) de abandonar o SNS, em razão dos médicos tarefeiros serem remunerados em mais do triplo à hora que os médicos com vínculo à instituição.

Prevê-se que esta situação se agrave a partir de hoje, dia 1 de março, quando os médicos acima de 55 anos, tal como tinham assumido, não assegurarem a realização de urgências e por isso não estarem asseguradas as escalas de cirurgia neste serviço no Hospital de Faro por um período de 13 dias, a começar desde já.

Os cirurgiões recebem perto de 15 euros por hora, enquanto o CHUA despende 50 euros hora com os tarefeiros, sendo que estas prestações de serviços têm crescido a um ritmo exponencial, consumido recursos desproporcionais, quando estas contratações fazem apenas sentido para momentos de picos de procura.

Todavia, tal como realça Cristóvão Norte em nota enviada às redações, «a carência é tão grande que a exceção é hoje a regra. Isto mina a lógica de grupo, o acompanhamento dos doentes, o sentimento de justiça e mostra a inação e incapacidade de melhorar as condições para fixar médicos que têm sido prometidas».

O deputado eleito pelo círculo de Faro refere ainda que «não há nem vai haver novo hospital, não há investimento em equipamentos, estamos cada vez mais a correr com os médicos do SNS. São maltratados e desvalorizados. Tudo isto pesa no desnorte que se faz sentir no Algarve».

O deputado Cristóvão Norte está disponível para esclarecimentos sobre esta pergunta à Ministra da Saúde, que será entregue na amanhã, segunda-feira, 2 de março.