Francisco Amaral lamenta Algarve sem cirurgia cardíaca

  • Print Icon

Francisco Amaral, médico e presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, manifesta a sua profunda indignação pela opção do governo em deixar o Algarve sem cirurgia cardíaca.

Em causa a decisão, na semana passada, da abertura de um Centro de Cirurgia Cardíaca em Évora, «lançando assim para as calendas a sua abertura em Faro».

Desde 2016 que existe um projeto estruturado, com médicos especialistas definidos, para abertura de um Centro de Cirurgia Cardíaca no Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA).

O Algarve tem uma população fixa e flutuante muito superior à servida pelo Hospital de Évora assim como a distância que separa Faro e Lisboa é muito superior.

Segundo Francisco Amaral «é lamentável que continuem a morrer algarvios com doença aguda cardíaca, assim como continue a aumentar a lista de espera de centenas de doentes a aguardar por uma intervenção cirúrgica cardíaca. É lamentável e revoltante esta decisão que, mais uma vez, revela que o Poder Central ostraciza o Algarve. É Lamentável e revoltante».