Elza Cunha e Paulo Baptista candidatos a Faro pelo PAN

  • Print Icon

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza irá candidatar-se às eleições autárquicas 2021 em Faro com Elza Cunha à presidência da Câmara Municipal e Paulo Baptista à Assembleia Municipal.

Com esta candidatura, o PAN pretende manter a senda dos últimos quatro anos, nos quais demonstrou, através da sua representação municipal, uma postura responsável e construtiva no sentido de aproximar as políticas do município aos valores ambientais, de direitos sociais e humanos e de proteção e bem-estar animal que defende.

Para Elza Cunha, candidata à Câmara Municipal de Faro pelo PAN, «as alterações climáticas são o desafio das nossas vidas. Mais do que palavras, precisamos de ações».

A cabeça de lista do partido concretiza que «precisamos de defender o ambiente e lutar contra a criação de descampados relvados, que desconsideram os melhores princípios de gestão dos recursos hídricos, à custa do abate de árvores, como irá acontecer na Mata do Liceu. Defendemos o Parque Natural da Ria Formosa e desaprovamos a criação de um porto de recreio destruidor das pradarias marinhas, habitat dos cavalos-marinhos, que vai trazer mais pressão de embarcações poluidoras e ruidosas».

«Somos contra a construção da ponte de duas faixas para a praia de Faro, já que vai aumentar a carga e a poluição dos automóveis sem resolver os problemas de circulação. Este projeto não acautela devidamente os impactos ambientais no ecossistema e não contempla a inevitável subida do nível do mar nos próximos anos, sendo um exemplo elucidativo da necessidade de Faro concluir e publicar o Atlas de Risco das alterações climáticas. Precisamos de conhecer a realidade do que vamos planear! Os órgãos do município devem assumir e declarar a Emergência Climática e agir responsavelmente em conformidade com a mesma.»

O PAN pretende que Faro seja também um município promotor da autonomia e soberania energéticas: o direito das pessoas e comunidades de decidirem sobre a produção, distribuição e consumo de energia, respeitando a Natureza e as outras espécies.

Os desafios sociais serão uma das chaves da governação nos próximos quatro anos. O período de crise associado à COVID-19 tem deixado inúmeras empresas, pessoas e famílias em situação de pobreza e carência alimentar. Faro precisa de um Executivo que esteja disposto a dar a mão a quem mais precisa, mas também que tenha a visão de uma comunidade mais cooperativa e resiliente aos fatores externos, que trabalhe os aspetos da sua soberania alimentar, aposte fortemente na economia circular, nos circuitos curtos de produção e distribuição, no apoio ao comércio local sustentável e que seja um parceiro dos cidadãos na realização dos seus anseios.

«Ninguém poderá ficar sem proteção. Temos de fazer cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, pensando nas gerações presentes e futuras. Para o PAN, o presente já é dos jovens e queremos desenvolver várias iniciativas no sentido de envolver a comunidade mais jovem na vida ativa do município, como por exemplo através da cedência de espaços a jovens para criação de associações, coletividades ou movimentos juvenis, espaços de artes, desporto e pequenas empresas», reforça Paulo Baptista, candidato à Assembleia Municipal de Faro.

O PAN quer aumentar substancialmente a verba no Orçamento Municipal alocada ao Arrendamento Jovem e pretende erradicar as situações de alojamento precário, através da disponibilização de habitação de baixo custo e social dispersa pelo património edificado do concelho, defendendo ainda a disponibilização de habitações comunitárias para a terceira idade.

Em termos de mobilidade e acessibilidade, para o PAN a cidade deve ser devolvida às pessoas. É urgente criar mais eixos cicláveis e pedonais seguros, promover a mobilidade suave e ativa em respeito por toda a população farense, independentemente da sua idade ou diversidade funcional, como forma de reduzir a poluição, permitir a fruição dos espaços ao ar livre e promover estilos de vida mais saudáveis.

«A Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não somente a ausência de doença. Como médica de família, confronto-me diariamente com a doença como resultado da desarmonia de um ou mais destes fatores. A depressão é já considerada por muitos especialistas a doença do século, não existindo dúvidas de que a mesma é resultante do modelo social desequilibrado em que temos vivido. É com esta visão abrangente da saúde que nos comprometemos com o desenvolvimento da Estratégia Municipal para a promoção da saúde», reforça Elza Cunha.

Na proteção e bem-estar animal, o PAN propõe a criação de um serviço veterinário público e solidário, no sentido de ajudar tutores com fragilidades económicas, associações zoófilas e quem cuida diariamente dos animais errantes, substituindo-se ao município. Para o partido, a dignificação dos direitos dos animais passa ainda pela implementação da Provedoria do Animal, aprovada recentemente em Assembleia Municipal por proposta assinada pelo PAN, pugnar pela criação de uma praia canina no município e criar também, na orgânica da Câmara, o pelouro da Proteção, Saúde e Bem-Estar Animal.

Enquanto representante de quem reside e faz a sua vida em Faro e sente este concelho como seu, o PAN irá continuar a ouvir os movimentos vivos e a sociedade civil para, em tempo oportuno, apresentar o seu programa completo e colaborativo.

«O PAN está pronto para assumir mais responsabilidades, quer reforçando a sua presença na Assembleia Municipal, quer garantindo um lugar de vereação no Executivo. Em conjunto iremos fazer de Faro a capital do Bem Viver», conclui Elza Cunha.