Cristóvão Norte: «há 10 mil alunos no Algarve sem professor»

  • Print Icon

Cristóvão Norte, presidente do Partido Social Democrata (PSD) Algarve, lamenta que haja 10 mil alunos sem professor na região.

Na iminência do início do ano lectivo 2023/2024, «verifica-se que há cerca de 10 mil alunos no Algarve que não vão ter aulas a todas as disciplinas. A escassez de professores, a qual se tem agudizado de ano por ano, implica que fiquem centenas de horários por preencher na região, num fenómeno nacional que é particularmente mais agudo no Algarve, já que esta região regista o dobro da média nacional de alunos com disciplinas em falta. A carestia de vida na região, designadamente o custo do arrendamento, desincentiva os professores que aqui são colocados a preencher esses horários», diz hoje Cristóvão Norte em nota enviada às redações.

«Estamos perante uma grosseira violação da igualdade de oportunidades e a por em causa o futuro destes jovens. É extraordinário que os anos passem, o problema se avolume e nada se faça. Depois, quem tem dinheiro vai para o colégio privado, quem não tem sofre e fica para trás», afirma.

O PSD Algarve quer que o governo socialista tome «medidas de exceção» que ainda respondam às dificuldades deste ano letivo 2023/2024.

«Há casas vagas em zonas de veraneio, entre setembro e julho, como Quarteira, Armação de Pera, Monte Gordo ou Praia da Rocha. Não será difícil o governo, se necessário em conjunto com as autarquias na referenciação das mesmas, assumir essas rendas ou parte das mesmas e resolver este problema. Aliás, tem uma medida, no âmbito do Mais habitação, o Programa Arrendar para Subarrendar, que pode ser adaptado a esta realidade. Pode começar já por aqui».

O PSD Algarve entende «que se deve ponderar o tema das casas de função, e de eventual majoração do tempo de serviço para profissões de serviço público vitais de modo a combater a escassez que a região enfrenta».