CHEGA! avança com candidatos para 11 municípios do Algarve

  • Print Icon

André Ventura, líder do CHEGA!, inaugurou a sede distrital do partido, na Rua de Santo António, em Faro, na segunda-feira, 3 de maio, na presença de militantes e simpatizantes.

Seguiu-se um jantar de apresentação dos candidatos algarvios às próximas eleições autárquicas. Para a primeira grande candidatura do CHEGA! na região, as listas são encabeçadas por Raquel Rodrigues, 33 anos, jurista (Albufeira); Custódio Guerreiro, 56 anos, diretor hoteleiro (Faro); Hernani Sousa, 49 anos, gestor comercial e de marketing (Lagoa); Delano Chiattone, 37 anos, chef de cozinha (Lagos); Fernando Santos, 59 anos, Arquiteto (Loulé); Ricardo Moreira, 46 anos, empresário (Olhão); Carlos Natal, 52 anos, empresário (Portimão); José Paulo Sousa, 57 anos, advogado (Silves); Pedro Ferreira, 42 anos, diretor técnico de farmácia (Tavira); João Graça, 47 anos, oficial de registos (Vila do Bispo) e David Costa, 41 anos, bancário (Vila Real de Santo António).

Em conversa com os jornalistas, André Ventura afirmou que o objetivo para o Algarve é ficar à frente do PCP e Bloco de Esquerda.

«Estabelecemos a meta de estarmos nas autárquicas ao nível do que temos estado nas sondagens. É uma meta muito ambiciosa, mas queremos estar logo a seguir aos dois principais partidos. E aqui no Algarve temos todas as condições para isso. Nalguns concelhos sabemos que estamos à frente do PSD. Faro é o distrito do país onde o CHEGA! mais tem crescido, o que significa que a nossa aposta autárquica tem de acompanhar esse crescimento. O Algarve está a enfrentar problemas muito específicos devido ao contexto da pandemia. É uma zona com problemas económicos e sociais muito específicos para os quais alertámos logo no início e penso que os algarvios perceberam isso», disse.

Outra meta é vir a ter candidatos para os 16 concelhos. «É um caminho que estamos a fazer e hoje marca o pontapé de saída».

Ventura esteve acompanhado pelo líder da distrital, João Graça, a quem reconheceu o trabalho de construção de candidaturas «a um ritmo completamente inesperado para um partido com a dimensão e o tempo» de existência.

«Tenho a certeza que aqui no Algarve vamos ter o melhor resultado do país. Ganhar uma Câmara Municipal é algo que gostava de ver concretizado. Temos noção das dificuldades, mas também temos noção do nosso valor», acrescentou.

João Graça, líder da distrital algarvia do CHEGA!

Até porque o grande objetivo nestas eleições «é a implantação do partido na região. Queremos que todos os concelhos do Algarve tenham elementos do CHEGA! na Assembleia Municipal na vereação da Câmara, nas assembleias de freguesia. A ideia é uma implantação real em termos locais», disse.

Em relação aos critérios de escolha dos candidatos agora apresentados, «damos sempre uma grande margem às estruturas locais que são quem conhece as pessoas e quem vive os problemas. Ao contrário de outros partidos, optámos por dar uma ampla margem à estruturas distritais. O critério? Era o que dizia Sá Carneiro: as pessoas boas de cada terra», concluiu.