CDU não quer interior algarvio condenado ao abandono e desertificação

  • Print Icon

Coligação Democrática Unitária (CDU) esteve em Alcoutim onde afirmou que o interior algarvio não está condenado à desertificação.

Das ações que decorreram ontem, dia 26 de Janeiro, a CDU destaca a presença de Catarina Marques em Alcoutim e em Vila Real de Santo António no contacto com trabalhadores das autarquias, pais e encarregados de educação de várias escolas e com o comércio local.

Em declarações realizadas por Catarina Marques em Alcoutim, a candidata da CDU sublinhou que «o Algarve não é só praia e mar. O Algarve tem serra, tem uma vasta zona interior que tem sido votada ao abandono. Os problemas com que estão confrontadas as populações de Alcoutim, que hoje aqui visitamos, não são muito diferentes do restante interior algarvio».

«Um território onde o emprego escasseia e em que o aparelho produtivo desapareceu. Onde se encerraram ao longo dos anos serviços públicos essenciais às populações. Onde o investimento público é escasso. Onde faltam transportes e perspectivas e vida para os mais jovens que são cada vez menos. Onde uma parte considerável da população não tem saneamento básico», acrescentou.

Para a candidata da CDU «Alcoutim, é espelho das desigualdades que a política que PS e PSD impôs ao longo dos anos entre o litoral e o interior. Mas a luta destas populações não se deixou de desenvolver e de ter resultados, como se prova com o novo compromisso para a construção da ponte internacional Alcoutim – Sanlúcar há muito reivindicada.»

A CDU sublinhou algumas das suas propostas para responder ao problema da desertificação que atinge parte da região do Algarve: o aumento geral dos salários, sem os quais não é possível fixar jovens neste território; a valorização dos serviços públicos, incluindo com a reabertura dos que encerraram; o aumento das pensões das reformas; a garantia de transportes públicos; o apoio à agricultura e ao mundo rural; a concretização da regionalização.