CDU apresentou candidatos à autarquia e freguesias de Faro

  • Print Icon

A Coligação Democrática Unitária/ PCP-PEV (CDU) apresentou, na quarta-feira, dia 19 de maio, numa iniciativa pública no Jardim Manuel Bivar, em Faro, os seus primeiros candidatos aos órgãos autárquicos do concelho de Faro.

Sérgio Martins, 49 anos, técnico superior de turismo e atual presidente da Junta de Freguesia de Santa Bárbara de Nexe, volta a candidatar-se a este órgão.

Isa Martins, 51 anos, professora, é a candidata à Junta de Freguesia de Montenegro.

Sara Vítor, 38 anos, coordenadora de quinta pedagógica, é o nome apontado para a União de Freguesias de Conceição e Estoi. Ricardo Catarro, 34 anos, trabalhador independente, é o cabeça de lista à União de Freguesias de Sé e São Pedro.

António Mendonça, 72 anos, engenheiro electrotécnico, encabeça a lista para a Assembleia Municipal de Faro. E, Catarina Marques, 44 anos, professora de educação especial, é a 1ª candidata à Câmara Municipal de Faro.

A candidata à Câmara Municipal de Faro fez um retrato do concelho e apresentou o projeto autárquico da CDU que assenta, sobretudo, «na melhoria das condições de vida dos farenses e na defesa dos direitos dos trabalhadores, nomeadamente dos trabalhadores da autarquia».

Este projeto autárquico, «característico da linha de trabalho e da posição política da CDU, aposta na exigência de mais e de melhor acesso à habitação; no alargamento da rede e aumento de carreiras ao nível dos transportes; na reposição das freguesias, liquidadas contra a vontade das populações; no apoio ao movimento associativo popular; no direito ao acesso e à fruição de todos à cultura e ao desporto; na exigência de uma verdadeira política ambiental que proteja os ecossistemas e a biodiversidade e defenda a água como bem essencial e público», segundo informa hoje a CDU em nota enviada ao barlavento.

Em relação aos trabalhadores, foi destacado o papel da CDU na luta pela implementação do Suplemento de Penosidade e Insalubridade aos trabalhadores da autarquia.

Além disso, a CDU considera que o concelho e a região «não podem estar dependentes da mono atividade do Turismo, sendo urgente e necessário a recuperação do aparelho produtivo como forma de aumentar o emprego, o crescimento e desenvolvimento económico e o progresso social».

Ainda nesta apresentação pública foi dada a palavra a Vasco Cardoso, membro da Comissão Política do Comité Central do PCP e responsável pelo trabalho político na região do Algarve.

Vasco Cardoso assinalou a CDU como a força política defensora do Poder Local Democrático, nascido da Revolução de Abril e afirmou que «o PSD e o PS, têm ao longo dos anos, tentado transformar e adulterar o sistema eleitoral para garantir poderes absolutos, maiorias artificiais, presidencialismo exacerbado».

O dirigente político referiu ainda que «estas forças políticas, que têm alternado a gestão autárquica em Faro, não são oposição em muitas matérias de grande relevância para Faro, a posição de PSD e PS é a mesma, por exemplo, em relação à destruição do Porto Comercial de Faro, ás demolições na Ria Formosa ou aos entendimentos relativamente à transferência de competências para as autarquias».

A CDU surge nestas eleições como a alternativa necessária ao desenvolvimento do Concelho e está apostada em aumentar o número de votos e mandatos, nomeadamente de eleger um vereador.