Portimão: afinal, o que está a acontecer com o Hospital?

  • Print Icon

São factos indesmentíveis. O Serviço de Cardiologia do Hospital de Portimão teve três cardiologistas, agora só tem um.

São factos indesmentíveis. O Serviço de Cardiologia do Hospital de Portimão teve três cardiologistas, agora só tem um. O Serviço de Neurologia teve três neurologistas, agora só tem um. O Serviço de Dermatologia teve três dermatologistas, e agora não tem nenhum. E as Urgências de Oftalmologia e de Otorrinolaringologia ainda existem?

E a destruição de equipamentos no Serviço de Medicina Física e Reabilitação?

Devagar devagarinho, o nosso Hospital, tem vindo a ser despojado de recursos humanos e materiais, nomeadamente médicos especialistas, pelas mais variadas razões, umas legítimas mas poucas, e a grande maioria por razões que se prendem com má gestão, desorganização, desmotivação relacionada com o bloqueio das carreiras, com salários baixos, falta de equipamentos e materiais, quer clínicos quer hospitalares, quase tudo dependente do poder regional e central, digo, governo.

Reafirmo convictamente, que só não vêm mais médicos para o Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA)/Hospital de Portimão, com receio de serem enviados para o Hospital de Faro.

Já alguns profissionais abandonaram o CHUA por esse facto concreto.

O Algarve não se pode dar ao luxo de perder médicos por razões destas, para além dos custos que este Centro Hospitalar representa para o País e sem uma melhoria nos cuidados de saúde a prestar à população!

Por razões que a razão desconhece, ou talvez não, o magnífico Serviço de Medicina Física e Reabilitação da Unidade Hospitalar de Portimão tem vindo a ser desmantelado.

Recentemente, e infelizmente por razões que tiveram a ver com a minha reabilitação, tive oportunidade de constatar que os equipamentos como por exemplo, tanque de Hubbard, tanque de marcha e piscina, existentes em sala própria e adequada, se tinham eclipsado. Deve ter sido vendido para a sucata!

Será que ninguém vê e ninguém se incomoda com estas situações e com esta gestão destrutiva no nosso Hospital? Será que o director clínico do CHUA, instituição agora muito mais «dinâmica», terá alguma explicação para esta situação bizarra e maquiavélica? Será que a «familiaridade» tem alguma coisa a ver com esta decisão? Lanço a questão ao demissionário conselho de administração do CHUA!

Acabei de ver a notícia da Ordem dos Médicos, de que muito provavelmente a excelente Maternidade do Hospital de Portimão (malvado CHUA), poderá encerrar definitivamente e consequentemente o Serviço de Obstetrícia.

E a seguir, qual será o serviço a eliminar? Será o Serviço de Pediatria? Já esteve na lista negra, caiu mas levantou-se!

Ao que chegámos Sr. Ministro da Saúde! O desprezo e leviandade com que é tratado o Algarve.

Veja-se o Orçamento de Estado (OE) para 2023, de aprovação recente, e o que contempla para a região. Afinal o que estão a fazer os deputados do Partido Socialista (PS) pelo Algarve na Assembleia da República?

Onde está a vossa dignidade? Lamentável e vergonhoso o que se está a passar na nossa região!

Mais uma vez manifesto, como cidadão e como profissional de saúde, a minha revolta e simultaneamente a minha preocupação, com tudo o que se está a passar no Serviço Nacional de Saúde (SNS), mas sobretudo a nível do Barlavento Algarvio.

Tenho a certeza que 90 por cento da população do Barlavento, comunga destes sentimentos e não se esquecerá facilmente o que lhe está a acontecer, apesar das esmolas que, quer o governo central quer local oferecem com frequência!

Faço um apelo ao Sr. Presidente da República (que há dois ou três dias afirmou num discurso eloquente que, tem ou teve família em muitos locais do mundo, e em nenhum desses locais do mundo o SNS é melhor que em Portugal), ao Sr. Ministro da Saúde, e em especial ao presidente executivo do SNS, no sentido de uma vigorosa e implacável intervenção, a todos os níveis para inverter o processo!

A incompetência e a irresponsabilidade também se combatem com dureza! É uma boa oportunidade para corrigir o que está mal, e o Centro Hospitalar Universitário do Algarve foi e é um desses casos. Só os burros é que não percebem e não mudam!

Luís Manuel de A. R. Batalau – Médico – C.P. 13805