Sindicato acusa CHUA de retroceder na progressão dos enfermeiros

  • Print Icon

Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) diz que atitude da administração do CHUA «é gozar com quem trabalha».

A administração do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) «retrocedeu na progressão dos enfermeiros outra vez», acusa hoje, em nota enviada às redações, a direção regional de Faro do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

Em 2019, diz o SEP, aquela entidade procedeu à progressão salarial dos enfermeiros com contrato individual de trabalho do Hospital de Lagos.

Em 2021, «esta administração ameaçou retroceder e concretizou em abril de 2022. Depois, repôs em maio, após a greve. Agora, voltou a notificar os enfermeiros da sua intenção de, em junho, passarem para a primeira posição remuneratória da carreira de enfermagem. Se isto não é gozar com quem trabalha, o que será?!».

«Quer o CHUA, quer a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve continuam a assobiar para o lado e a ignorar os problemas dos enfermeiros. Mas ao contrário da música do Carlão, este assobiar para o lado coloca em causa o acesso e a segurança de todos os que moram e procuram a região para gozar as suas férias».

Entretanto e enquanto a administração «brinca à gestão aumenta a insatisfação e a sangria de enfermeiros. A título de exemplo, só do serviço de urgência de Portimão demitiram-se 10 enfermeiros desde o início do ano, quatro dos quais este mês. A brincadeira tem tudo para ter consequências tendo em conta o período de férias que se aproxima e o aumento do fluxo de turistas nacionais e estrangeiros. E, porque continuam a não agendar a reunião com o SEP, pedimos reunião à ministra da Saúde», Marta Temido.