Portugal recebe mais de 1,4 milhões de vacinas nos próximos dias

  • Print Icon

Portugal vai receber mais de 1,4 milhões de vacinas contra a COVID-19 nesta e na próxima semana, que permitirão acelerar o processo de vacinação de três escalões etários em paralelo, anunciou hoje a task force.

Segundo disse à Lusa fonte da estrutura que coordena a logística da vacinação em Portugal, até final da próxima semana, «estima-se que cheguem a território nacional cerca de 950 mil doses da vacina da Pfizer, 340 mil doses da AstraZeneca, 68 mil doses da Moderna e 88 mil doses da Johnson & Johnson» (Janssen), esta última de toma única.

Está, assim, previsto que o país receba 1.446.000 vacinas nos próximos dias, o que representa cerca de 25 por cento do total de 5.728.470 doses entregues a Portugal desde que arrancou o plano de vacinação, a 27 de dezembro de 2020.

«Encontramo-nos a dias de vacinar a maioria da população acima dos 60 anos pelo menos com uma dose – neste momento, temos 90 por cento destas pessoas com pelo menos uma dose – o que significa que teremos protegido a faixa etária onde até agora se verificaram 96 por cento dos internamentos e mortes por COVID-19», adiantou a mesma fonte.

Segundo a task force liderada pelo vice-almirante Gouveia e Melo, cumprido este objetivo e tendo em conta as vacinas disponíveis, a «prioridade passou por vacinar, de forma o mais equitativamente possível entre administrações regionais de saúde», o maior número de pessoas de diferentes faixas etárias.

Além da vacinação das pessoas entre os 50 e os 59 que já está a decorrer, a task force pretende, na semana de 6 de junho, começar a vacinar a faixa etária dos 40 aos 49 anos e, na semana de 20 de junho, o grupo dos 30 aos 39.

«A vacinação destes três escalões etários irá decorrer em paralelo. Falamos aqui de escalões etários onde o risco para as pessoas de contraírem COVID-19 é muito semelhante e tentar-se-á, com esta medida, simplificar e acelerar o processo de vacinação para o conjunto da população», explicou a mesma fonte, que adiantou ainda que os últimos dados indicam que cerca de dois a três por cento das pessoas convocadas por SMS para serem vacinadas responderam negativamente ao agendamento proposto, o que pode não querer dizer que recusam ser vacinadas.

«A não aceitação do agendamento não significa uma recusa de vacinação. Esta pode ser causada por diversos motivos, como indisponibilidade na data proposta, pretendendo o utente uma data alternativa», referiu.

Segundo o relatório semanal da vacinação divulgado na terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS), 3.526.688 pessoas já estão vacinadas com a primeira dose e 1.654.55 já têm a vacinação completa, tendo sido administradas na última semana um total de 516.911 doses.

Os dados da DGS indicam que 34 por cento da população portuguesa recebeu a primeira dose e que 16 por cento já foi vacinada com as duas doses da vacina contra o vírus SARS-CoV-2.