CHUA assina novos protocolos de hospitalização domiciliária no Algarve

  • Print Icon

Protocolo chega a novas estruturas de Faro, Olhão, Portimão e Lagos.

O Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) ampliou a sua rede e aumentou a cobertura da Hospitalização Domiciliária a nível regional, através da assinatura de protocolos com quatro Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI), nomeadamente a Santa Casa da Misericórdia de Faro, a ACASO de Olhão, o Centro de Apoio a Idosos de Portimão e a Santa Casa da Misericórdia de Lagos.

A cerimónia de assinatura dos protocolos de articulação teve lugar no Auditório da Biblioteca Municipal de Olhão ontem, quarta-feira, dia 23 de março, e contou com a presença do coordenador do Programa Nacional de Implementação das Unidades de Hospitalização Domiciliária nos Hospitais do SNS, Delfim Rodrigues, do presidente da Câmara Municipal de Olhão e da AMAL, António Pina, do presidente da Administração Regional de Saúde do Algarve, Paulo Morgado, e da presidente do Conselho de Administração do CHUA, Ana Varges Gomes, assim como dos dirigentes das mencionadas ERPI.

A concretização da colaboração entre o CHUA e estas estruturas traduz-se numa importante mais-valia para a recuperação dos doentes, que vão poder beneficiar do acompanhamento clínico por parte dos profissionais de saúde do CHUA no modelo de hospitalização domiciliária, aliado à capacidade técnica existente nos lares e nas estruturas, nomeadamente ao nível da enfermagem e das equipas de auxiliares com formação específica em geriatria.

De acordo com a presidente do Conselho de Administração do CHUA, Ana Varges Gomes, «esta é a primeira resposta deste tipo a nível nacional e queremos que as outras equipas possam alargar a sua disponibilidade de trabalho para outras instituições. Esta é uma forma de termos menos internados nos hospitais e cada vez mais se justifica, porque as vagas nos hospitais são finitas. Podemos, assim, continuar a prestar os cuidados que as pessoas precisam, no seu local, com as suas rotinas, permitindo que não saiam da zona de conforto, e possamos assim recuperá-las melhor. Isto sim, é colocar o doente no centro das nossas decisões».

A Unidade de Hospitalização Domiciliária do Centro Hospitalar Universitário do Algarve é uma alternativa ao internamento convencional que proporciona assistência clínica de modo contínuo e coordenado aos doentes que, requerendo admissão hospitalar, cumprem também uma série de critérios clínicos, sociais e geográficos que permitem o internamento no domicílio, agora estendido também a estas ERPI.

Com uma cobertura quase total da região algarvia, Delfim Rodrigues, coordenador do Programa Nacional de Implementação das Unidades de Hospitalização Domiciliária nos Hospitais do SNS, refere que «o CHUA é um dos três centros hospitalares, a nível nacional, que diversificou a sua base de trabalho», conseguindo com as duas unidades de hospitalização domiciliária abranger as áreas de proximidade das unidades hospitalares.

«O Algarve é um exemplo, porque dos 38 só há mais dois que fazem isto: o Centro Hospitalar do Oeste e, desde ontem, o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro», salientando a importância da resposta em hospitalização domiciliária para os doentes, para os hospitais e agora para estas ERPI.

Já Paulo Morgado, presidente da ARS-Algarve, salientou «o carácter inovador» do alargamento da hospitalização domiciliária às ERPI. «É um projeto que tem um carácter inovador, em que todos ganham, mas desde logo quem ganha são os utentes. Os resultados e satisfação são melhores quando os cuidados são no domicílio».

O CHUA dispõe do Serviço de Hospitalização Domiciliária desde 2019, na Unidade de Faro, e desde 2021 na Unidade de Portimão, contando já com um total de 15 camas e quase 700 utentes atendidos. Agora, com esta iniciativa, poderá duplicar o nível de atendimento para até 650 beneficiários.