Projeto leva «bichinho» do empreendedorismo às crianças de Albufeira

  • Print Icon

Escolas do 1.º ciclo do concelho de Albufeira estão a acolher desde o passado dia 16 de maio o projeto «Startiupi», orientado para o desenvolvimento das competências pessoais e sociais dos seus participantes.

O projeto é composto por três sessões, onde os mais pequenos desenvolvem e potenciam as suas competências empreendedoras e experienciam o ciclo de criação de valor do produto. Assim, para além da apreensão dos conceitos, pretende-se que sejam criados pequenos produtos que possam ser simbolicamente comercializados nas «Feiras Startiupi», a serem realizadas no dia 8 de junho, em cada Agrupamento de Escolas de Albufeira.

«A metodologia do projeto foca-se na premissa de que o empreendedorismo é uma atitude de estar na vida e que pode ser desenvolvida desde cedo, acreditando que crianças empreendedoras serão adultos mais felizes e com mais oportunidades de escolha», explica a Câmara Municipal de Albufeira.

Na senda do desenvolvimento de competências empreendedoras junto das crianças e jovens, a Startup Albufeira, encontra-se também a participar no «Primeiro Festival das Artes e da Cidadania» dinamizado pelo Agrupamento de Escolas de Albufeira Poente, em dois momentos.

No âmbito desta iniciativa, o dia de ontem, quinta-feira, 19 de maio, foi dedicado à «Literatura, Solidariedade e Empreendedorismo», tendo a Startup Albufeira dinamizado um primeiro momento sobre empreendedorismo junto dos mais novos, no auditório da AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve.

Foi também dinamizada, na Escola Secundária de Albufeira, uma sessão intitulada «Histórias que nunca partilhei» com Luís Matos Martins, incluindo dinâmicas de grupo para a compreensão do conceito de como ser um verdadeiro empreendedor.

Para José Carlos Rolo, presidente da autarquia, «desenvolver o empreendedorismo na infância não é só estimular positiva e falsamente tudo quanto dizem ou fazem. É também fazer ao seu lado, mostrar e partilhar dúvidas, explorar soluções». O autarca refere ainda que «iniciativas como estas, pensadas e planeadas, são meritórias. Têm o olhar num longe que só pode traduzir-se, como nos ensinou Keynes, na economia da Felicidade».