Fundação GALP oferece 30 computadores a alunos de Alcoutim

  • Print Icon

Agrupamento de Escolas de Alcoutim recebeu 30 computadores oferta da GALP e da Fundação GALP.

Com o regresso do ensino à distância, a Galp e a Fundação Galp reforçaram o programa de oferta de computadores entregando no espaço de um ano 1300 equipamentos.

Ao todo, desde o início da pandemia, foram doados 700 computadores distribuídos por mais de 20 agrupamentos de escolas e ainda 600 computadores a filhos de colaboradores da energética.

As ofertas à comunidade escolar, que privilegiam as escolas localizadas no interior de Portugal, são feitas em coordenação com a Student Keep, a plataforma solidária de angariação de equipamento informático e posterior doação a alunos, criada no início da pandemia.

A doação mais recente foi feita ao Agrupamento de Escolas de Alcoutim, a quem foram oferecidos 30 computadores, na tarde de sexta-feira, dia 5 de março.

Esta doação permite apoiar os 175 alunos que frequentam a Escola Básica Integrada de Alcoutim e a Escola Básica Prof. Joaquim Moreira.

A Galp tem vindo a recondicionar computadores «da casa» que estão a ser oferecidos tanto a filhos de colaboradores da empresa como a escolas de todo o país que têm solicitado para os seus alunos que, infelizmente, não têm condições para comprar este tipo de equipamentos.

O contributo tem sido direcionado para zonas mais remotas do país, que por vezes ficam esquecidas face a tantos pedidos das grandes cidades.

Os computadores foram entregues esta à diretora do Agrupamento de Escolas de Alcoutim Paula Bento na presença do de Osvaldo Gonçalves, presidente da Câmara de Alcoutim e também das famílias que irão receber estes equipamentos.

Além de computadores, a energética avançou ainda com a oferta de monitores e outros dispositivos que permitem o acompanhamento das aulas virtuais.

Para a GALP/ Fundação GALP, «a educação move o mundo e é por isso fundamental incentivar as crianças e jovens a continuarem os estudos mesmo num contexto sem precedentes e de enorme desafio. É essencial assegurar que os alunos com menores recursos possam continuar as atividades letivas, agora à distância».