Albufeira promove prática de tutoria em formação online para professores

  • Print Icon

Intitulada «Mentor – Tutorias Autorregulatórias», formação vai na segunda edição.

O município de Albufeira está a realizar, desde o dia 15 de outubro e até 9 de dezembro, uma formação online destinada a docentes do concelho com vista a promover a inclusão dos alunos dos vários níveis de ensino, com sessões às quartas-feiras, das 17h00 às 19h00.

Intitulada «Mentor – Tutorias Autorregulatórias», a formação, que já vai na segunda edição, tem por objetivo apoiar, esclarecer e desenvolver as competências dos professores-tutores com vista à inclusão de todos os alunos através da prática de tutoria. A formação encontra-se organizada em torno de duas componentes teóricas: uma centrada nos processos motivacionais e de autorregulação da aprendizagem e, outra, na promoção e desenvolvimento de competências da natureza relacional professor-tutor.

A ação integra-se no âmbito de um conjunto mais vasto de apoios disponibilizados pelo município à comunidade educativa do concelho, sendo acreditada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC). Está a ser desenvolvida em parceria com o Centro de Formação de Professores de Albufeira, Lagoa e Silves, sendo dinamizada por uma técnica de Psicologia Educacional do Município de Albufeira.

O presidente da Câmara Municipal de Albufeira, José Carlos Rolo, sublinha que Albufeira «é um concelho inclusivo que faz uma aposta forte para que todos tenham as mesmas oportunidades, independentemente das suas diferenças».

Por isso, segundo o autarca, «estamos alinhados com este objetivo a nível nacional, sendo certo que desde sempre nos empenhamos e comprometemos com o sucesso educativo no nosso concelho, investindo continuamente não só na melhoria do parque escolar, alimentação, transportes e atribuição de subsídios a quem mais precisa, mas também ao nível da disponibilização de um conjunto diversificado de apoios ao nível da consultoria técnica à comunidade educativa, como é o caso da presente formação».

Para o efeito, a autarquia dispõe de uma equipa técnica especializada, composta por psicólogos educacionais, terapeutas da fala e uma terapeuta ocupacional.

A presente iniciativa assenta no pressuposto de que os alunos necessitam de ser acompanhados por um professor-tutor, com vista a minimizar problemas como dificuldades de integração, atitudes e comportamentos disruptivos, bem como necessidades educativas especiais.

O programa, que surgiu na sequência do despacho Normativo 4-A/2006/16 e do Decreto-Lei nº 54/2018, «estabelece os princípios e normas que garantem a inclusão, enquanto processo que visa responder à diversidade das necessidades e potencialidades de todos e de cada um dos alunos, através do aumento na participação nos processos de aprendizagem e na vida da comunidade educativa».

Entre os vários objetivos a atingir, estão «o aprofundamento dos conhecimentos, metodologias e propósitos da tutoria, exploração de diferentes estratégias autorreguladoras de aprendizagem, promoção de competências organizadoras do raciocínio e resolução de problemas com os alunos, capacitação dos professores-tutores para a identificação e intervenção em situações educativas problemáticas e não menos importante, a integração dos professores-tutores numa comunidade de partilha de experiências e recursos com vista à prática da tutoria em contexto escolar».