Santa Clara dominou e venceu um Portimonense muito «tenrinho»

  • Print Icon

Ainda sem público, o Portimão Estádio recebeu este desafio da 6ª jornada da Liga NOS. Erros e brindes na zona defensiva sentenciaram Portimonense, que mostrou muito pouco para contrariar o 1-2 final.

Apesar da derrota em Tondela, na última ronda do campeonato, Paulo Sérgio não fez qualquer alteração ao 11 que entrou no relvado para defrontar o Santa Clara.

E foi mesmo a equipa insular que teve a primeira grande chance para abrir a contagem, ao minuto 4, com o guardião Samuel Portugal a agigantar-se e a negar o golo a Thiago Santana. O Portimonense até tinha mais bola e tentava mais investidas ofensivas, mas quem ia criando perigo era mesmo a turma que viajou dos Açores.

Ao minuto 14, o iraquiano Rashid, com um grande trabalho, assistiu Lincoln, que viu o seu remate ser cortado in extremis pelo central algarvio Maurício. Já perto da meia hora de jogo, foi João Afonso, após canto, a cabecear à malha lateral da baliza algarvia.

Os encarnados dos açores carregaram forte em cima do Portimonense e voltaram a assustar aos 36 minutos. Foi Carlos Junior, sob o lado esquerdo, a rematar para uma grande defesa de Samuel Portugal, para canto. E haveria de ser na sequência da bola parada, no minuto seguinte, que o Santa Clara chegaria ao golo. Lincoln cobrou, Nené cabeceou ao poste e Fábio Cardoso, na recarga, fez o 0-1.

Os alvinegros tentaram responderam por intermédio de Welinton Junior, mas o brasileiro não conseguiu desfeitear Marco (40′). E ainda havia uma contrariedade reservada para os algarvios no final da primeira parte: Pedro Sá lesionou-se no ombro e teve de ser substituído por Ricardo Vaz Tê.

No regresso dos balneários, Paulo Sérgio tentou contrariar a adversidade lançando Moufi e Aylton Boa Morte para a etapa complementar, nos lugares de Welinton e Anzai. E quase via resultados logo no primeiro minuto de jogo: Fali Candé cruzou e deixou Anderson com tudo para o golo, mas o brasileiro atirou à trave. A bola sobrou para Aylton Boa Morte, mas o extremo atirou ao lado.

O Santa Clara respondeu pelos pés de Lincoln, que com um cruzamento bastante traiçoeiro obrigou Samuel Portugal e uma grande estirada para evitar o golo (56′). Serviu de aviso para o que aconteceu ao minuto 58. A defensiva do Portimonense resolveu brincar com o fogo e…queimou-se. Thiago Santana agradeceu a displicência de Willyan e atirou para o 2-0. E a pintura podia ter ficado mais negra logo no reatamento, com mais uma perda de bola algarvia, que acabou com um remate de Carlos Junior ao poste.

A tarefa estava complicada para a equipa da casa, que mostrava alguma falta de crença e muita falta de concentração. Mas, aos 66 minutos, na cobrança de um livre, Lucas Fernandes fez um grande cruzamento para Aylton Boa Morte cabecear rumo às redes, reduzindo diferenças para 1-2 e dando novo alento aos anfitriões.

O jogo estava bem mexido, e o Santa Clara respondeu com muito perigo ao minuto 70: Carlos Junior trabalhou com qualidade sob o flanco esquerdo do ataque insular e disparou para mais uma boa intervenção de Samuel Portugal.

Paulo Sérgio decidiu refrescar a sua formação com as entradas de Fernando e Henrique, para os lugares de Fali Candé e de Lucas Fernandes, mas a equipa não assimilou bem as ideias do treinador e as dificuldades na construção tornaram-se mais evidentes.

Ainda assim, o Portimonense teve uma oportunidade de ouro para igualar a partida ao minuto 84. Foi após uma bola parada, com o esférico a passear-se pela área e Aylton a ficar a centímetros de conseguir desviar para o golo.

Os algarvios não conseguiram (nem mereceram) alcançar o empate e somaram mais uma derrota. A equipa de Portimão mantém os quatro pontos no campeonato e na próxima jornada desloca-se ao Estádio do Dragão para defrontar o FC Porto, domingo, 8 de novembro, às 17h30.