PSD Loulé exige «demissão imediata» da vereadora Heloísa Madeira

  • Print Icon

Para o PSD Loulé, «Vítor Aleixo procura desviar atenções das duras críticas feitas por Adriano Pimpão, com o executivo a descartar responsabilidades políticas pressionando técnicos a demitirem-se».

A concelhia de Loulé do Partido Social Democrata (PSD) exigiu, em nota enviada às redações no dia 4 de julho, sábado, «a demissão imediata» da vereadora Heloísa Madeira, que detém o pelouro do Urbanismo na Câmara Municipal de Loulé.

Segundo a concelhia, «após a denúncia pública em plena Assembleia Municipal de Loulé da suspeita de dualidade de critérios na apreciação de projetos urbanísticos – um dos motivos que levou inclusive o presidente da assembleia municipal, Prof. Adriano Pimpão, a renunciar ao cargo e a tecer fortes críticas à gestão camarária -, o executivo optou simplesmente por pressionar a demissão da chefia direta do processo, ignorando completamente quaisquer responsabilidades políticas».

Para o PSD/Loulé, «o técnico convidado a demitir-se serve assim como verdadeiro bode expiatório da situação, isto depois da vereadora Heloísa Madeira ter reiterado por várias vezes a confiança neste mesmíssimo técnico. Em qualquer órgão do Estado, independentemente do nível de atuação e responsabilidades que possam existir a outras instâncias, existe em última análise um ónus político que deve sempre ser assumido, até para injetar confiança no sistema».

Para «desviar atenções e tentar salvar a face da sua vereadora, o presidente da edilidade, Vítor Aleixo, prestou-se esta semana a um número de puro ilusionismo, promovendo uma conferência de imprensa a anunciar com toda a pompa a entrega ao Ministério Público do processo que deu origem à denúncia de dualidade de critérios. Para ele, é assunto arrumado e encerrado», denunciam os sociais democratas, que acusam ainda o edil de Loulé de, «como sempre fez, querer passar a imagem de que nada sabe, nada tem a ver com isso, e nem sequer é responsável. Existam ou não suspeitas, e sejam elas fundadas ou infundadas, é sobre os políticos que gerem a Câmara Municipal que recai a responsabilidade da estrutura por si nomeada».

Por isso, para os responsáveis do PSD Loulé, «se numa área tão importante como o Urbanismo existem suspeitas de irregularidades num departamento cujas chefias são todas da confiança direta da vereadora que detém o pelouro, a esta não lhe resta outro caminho que não ela própria apresentar a sua demissão. Heloísa Madeira, que estrategicamente tem mantido silêncio absoluto sobre a situação, não reúne quaisquer condições para se manter no cargo, e se não se retirar pelo próprio pé, deve ser o presidente da autarquia a exonerá-la».

Sobre a averiguação alegadamente desencadeada no Ministério Público, a concelhia social democrata deseja «que a mesma seja célere e eficaz, para colocar um ponto final neste desastre que Vítor Aleixo é incapaz de controlar».