Portimonense deu uma parte de avanço e empatou frente ao Marítimo

  • Print Icon

Turma de Portimão deixou-se cair na teia montada pelo último classificado do campeonato e não teve arte nem engenho para ir além do nulo.

Depois da derrota na visita ao Sporting, Paulo Sérgio voltou a apostar na tarde de hoje, domingo, dia 28 de fevereiro, num 11 ligeiramente mais ofensivo, lançando de início Luquinha e Fabrício nos lugares de Henrique e Ewerton.

Os insulares, no entanto, vieram ao Algarve com a lição bem estudada, conseguindo anular o Portimonense desde o apito inicial do árbitro Tiago Martins. E dispuseram mesmo da primeira boa chance para abrir o marcador aos 14 minutos, por intermédio de Pedro Pelágio. O médio, único português na equipa inicial do Marítimo, rematou de fora da área e obrigou Samuel a uma grande intervenção.

Depois, ao minuto 20, foi Winck a trabalhar bem no flanco direito e a cruzar para o cabeceamento de Correa, desviado para canto pelo guardião dos algarvios.

Portimonense
Fotografia: Nelson Ferreira

O Portimonense deixou a primeira parte atar de tal forma, que foi incapaz de criar lances que obrigassem o guardião dos madeirenses a sujar o equipamento, produzindo muito pouco ofensivamente e caindo na teia maritimista.

Já perto do intervalo, Paulo Sérgio foi obrigado a mexer na equipa, devido à lesão de Lucas Possignolo, lançando Ewerton na tentativa de dar mais algum critério ao jogo dos algarvios.  O timoneiro do Portimonense não estava satisfeito e, durante o descanso, também tirou Fabrício de campo e lançou Salmani.

Os alvinegros entraram mais mexidos na segunda metade e criaram a sua primeira chance de golo até então. Foi Luquinha, aos 56 minutos, com um remate da meia distância que Amir defendeu a dois tempos.

Portimonense Marítimo
Fotografia: Nelson Ferreira

Apesar de uma maior dinâmica no setor ofensivo, a verdade é que o Portimonense não conseguia impor o seu jogo no relvado do Portimão Estádio. Luquinha ia tentando remar contra a maré e, ao minuto 68, na cobrança de um livre direto, ainda assustou o keeper da turma madeirense.

Os insulares responderam no minuto seguinte por Tamuzo, com um remate que passou por cima da baliza de Samuel.

A partida tomava um que beneficiava o Marítimo e, talvez por isso, Paulo Sérgio, ao minuto 77, lançou Henrique e Bruno Moreira, para os lugares de Anzai e Beto, refrescando o flanco esquerdo da equipa e colocando mais músculo na frente de ataque.

Marítimo Portimonense
Fotografia: Nelson Ferreira

Mas foi o Marítimo quem ia conseguindo chegar ao tento inaugural. Após um lançamento lateral, Zainadine surgiu no coração da área a cabecear à barra da baliza de Samuel.

Paulo Sérgio bem tentou dar alma à equipa com as várias substituições, findadas na troca de Luquinha por Anderson à passagem do minuto 83. O extremo brasileiro ainda mexeu com o jogo, fazendo uso da sua velocidade.

Quando o cronómetro apontava os 87 minutos, Ewerton surgiu à entrada da área com um remate de primeira que passou perto da baliza de Amir. Seria a última chance dos algarvios, que não fizeram por merecer mais que este empate.

Os alvinegros ficam com 20 pontos e continuam no 13º lugar da tabela, apenas dois pontos acima da linha de água. Na próxima ronda do campeonato, o Portimonense recebe o Tondela, sábado, dia 6 de março, às 15h30.