«Novos Mercados para Novos Tempos» debatidos em Vilamoura

  • Print Icon

Conferência mostrou exemplos e casos de estudo de nichos sustentáveis e ainda por explorar que podem ser replicados com sucesso no Algarve.

Na data em que se assinalou o dia mundial do Turismo, a 27 de setembro, o salão de conferências do Hilton Vilamoura foi palco de uma conferência sobre o tema «Novos Mercados para Novos Tempos», organizada pela ILM Real Estate Group, em parceria com a Ireland Portugal Business Network (IPBN) e a Dengun Digital Agency.

Com a lotação praticamente esgotada, o iniciativa debateu os mercados de turismo emergentes, as tendências e perfis dos «novos» turistas, e sobretudo, como pode o Algarve ser mais atrativo e especializar-se em segmentos com potencial. Os vários painéis juntaram 24 palestrantes nacionais e internacionais.

Após a receção de boas-vindas por parte dos anfitriões Andrew Coutts, presidente da ILM Tourism & Hospitality Real Estate Group Portugal e Jorge Cabaço, consultor e formador, coube à irlandesa Aoife Healy, presidente do Ireland Portugal Business Network (IPBN) iniciar os trabalhos.

Na sua apresentação mostrou como um pequeno grupo de pessoas conseguiu colocar a cidade de Howth, na Irelanda, no mapa, através da aposta no turismo desportivo, de saúde e bem-estar, e ainda no mercado sénior.

«Era uma cidade sem interesse que ninguém conhecia. Após a nossa estratégia passou a ter inúmeros atrativos e a ser visitada por milhares de turistas», disse.

Por sua vez, João Fernandes, presidente do Turismo do Algarve, optou por fazer uma breve intervenção durante a qual enalteceu a iniciativa e reconheceu-a como «mais uma oportunidade para dar um passo em direção ao futuro» do destino.

Francisco Serra, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento (CCDR) do Algarve, trouxe ao debate um tom mais sério de preocupação com as consequências das alterações climáticas e a urgência de «uma utilização mais responsável dos recursos do planeta».

O empresário Declan Conway corroborou esta perspetiva e no seu discurso. «Não temos muito mais tempo» a perder no atual contexto de emergência ambiental e sugeriu a adoção de uma agenda a curto prazo para «tornar o Algarve a Meca da sustentabilidade».

O palestrante que mais vezes partilhou a sua visão estratégica e diversos case-studies ao longo de todo o dia foi Nazir Sacoor, presidente da Longevity Health & Wellness Hotel.

Sacoor apresentou diferentes definições e evidenciou as diferenças entre o turismo médico e o de saúde e bem-estar.

«O cliente que procura fazer turismo médico não quer sentir que está num hospital ou numa clínica», por isso, o Algarve tem de se preparar rapidamente para responder a este tipo específico de demanda.

O turismo médico foi ainda debatido por um painel constituido por Nuno Alexandre, do grupo Hospital Particular do Algarve (HPA), Catherine Hallahan, da GSI Health & Wellness Exchange, e a holandesa Ieke van Doorn que apresentou o projeto «Revive Clinic», a abrir em breve na região.

Nuno Alexandre, do grupo Hospital Particular do Algarve (HPA).

A sessão da tarde iniciou com a polaca Magdalena Osmola, diretora de Marketing e Comunicações de Vale do Lobo, que conseguiu cativar a audiência com uma apresentação sobre as últimas tendências culturais e comportamentais e a sua definição de conceito de «novo luxo», baseado nos princípios de paixão, contribuição, experiência, bem-estar, comunidade e, claro, sustentabilidade.

Martin Goldman, presidente da ASPA Internacional partilhou conceitos de economia circular e a evolução do turismo de bem-estar. Tópico que foi discutido por um painel composto por Silvana Pombo do Cascade Wellness Resort em Lagos, Bruno Silverio do Pine Cliffs Resort, Katya Bauval do Vila VIta Parc Resort & Spa e Nazir Sacoor.

A conferência prosseguiu com a apresentação do sueco Göran Engberg, fundador da empresa Growise, sobre os futuros desafios para o Algarve e ainda noções de liderança e perspetivas de negócios sustentáveis.

Quase a encerrar o dia, o painel constituído por Ana Sepulveda, do 40+ lab: Longevity Economy Experts, a americana Margaret Wylde da empresa da Promatura USA, Alexandre Neves do Monte da Palhagueira, e Peter Robinson da Promatura Europe, discutiu o que de melhor se faz no sector do turismo residencial sénior no mundo, e o impacto e oportunidades de negócio que este tipo de público pode gerar.

O dia encerrou com a apresentação de João Ministro, CEO da empresa de turismo Proactivetur, sobre as grandes oportunidades na área do turismo sustentável, ecoturismo, viagens responsáveis, turismo consciente, comunitário e criativo, voluntariado e geoturismo.

A julgar pelo sucesso e adesão à conferência, fica a certeza que não falta aos principais players da indústria vontade colocar o Algarve na vanguarda de uma nova demanda turística.

«Revive Clinic» vai tratar doença de Lyme

A advogada holandesa Ieke van Doorn, apesar da vida profissional ocupada, sempre praticou desporto. Ainda bastante jovem, contudo, começou a sentir uma fatiga constante, cansaço e dores. Após muitas consultas, descobriu, através de um especialista na Bélgica, que sofria da doença de Lyme, uma patologia infecciosa causada por bactérias transmitidas por uma carraça (Ixodes ricinus). O contacto com diversos pacientes ao longo dos anos fê-la perceber que gostaria de poder ajudar pessoas com problemas semelhantes.

Ieke van Doorn.

«No início deste ano reuni com uma equipa de médicos e profissionais de saúde sobre a possibilidade de avançar com este projeto. Tendo em conta algumas estatísticas e indicadores, rapidamente percebi que é no Algarve que quero desenvolver uma clínica. A ideia é que pessoas de toda a Europa consigam recuperar aqui onde encontrarão todas as condições», explicou no evento. A nova clínica deverá abrir até ao final do ano, embora a promotora não tenha avançado mais detalhes.