MOCHILA, festival de teatro para crianças e jovens começa hoje em Faro

  • Print Icon

MOCHILA, Festival de Teatro para Crianças e Jovens organizado pelo LAMA Teatro decorre até dia 12 com música, novo circo, performance e teatro.

É um festival inédito na região, cujo congénere ao nível nacional seriam, talvez, o Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público, de Almada, ou o Fértil Cultural – que dedica uma semana inteira ao teatro para a infância e juventude. Contam-se pelos dedos e é neste dedicado nicho que surge a segunda edição do MOCHILA, que a partir de hoje, quinta-feira, dia 3 de novembro, apresenta um total de 18 propostas, que terão lugar em diversos espaços culturais da cidade e ao ar livre.

Segundo o diretor artístico João de Brito, «há um foco direcional para estas idades, mas acaba por ser para toda a família. Há um reforço, uma programação mais robusta e com grande amplitude. É um cartaz mais multidisciplinar. Não há um tema central, mas vários que consideramos urgentes tratar, como o acesso à habitação, e temas que são urgentes falar como a ecologia, a velhice, a solidão, o consumo consciente, o direito à habitação e o tempo. Mas não é apenas uma empreitada de espetáculos, é também o resultado do trabalho educativo continuado que fazemos com o laboratório pedagógico Estojo».

Mão Verde. Foto: Matilde Ramos.

A programação arranca no no Teatro Lethes, com o espetáculo «O valor das pequenas coisas», uma criação LAMA Teatro, às 14h30 (escolas) e 19h00 (famílias). «É sobre o ciclo do dinheiro. Desafiei o escritor David Machado [que ganhou notoriedade com os livros para crianças] para escrever um texto com as minhas ideias. Passa-se numa feira, onde surge a figura do capitalismo, e onde há uma rapariga que vende coisas que não são palpáveis como gargalhadas, em troca de coisas que façam estremecer o coração. É bonito e divertido», descreve João de Brito.

A 4 de novembro, às 10 horas, Rita Rodrigues apresenta, no Polidesportivo do Clube União Culatrense (Ilha da Culatra), «Em busca de um neto», um espetáculo que aborda o tema da solidão, através de uma personagem muito peculiar. «Já criámos uma relação com esta comunidade e portanto faz sentido mantê-la» nesta segunda edição, diz o também encenador e ator.

Thorsten Grütjen [Tosta Mista].
No mesmo dia, o Espaço Quintalão recebe «Histórias Suspensas», uma proposta de novo circo da Radar 360º, com direção da coreógrafa Joana Providência, às 14h30 (escolas) e 19h00 (famílias).

Será ainda palco de «À Babuja», uma criação LAMA Teatro, no dia 5, às 11 horas (sessão famílias), e de «T0+1 – Um espetáculo entre quatro paredes e sobre três rodas», do clown alemão radicado na Costa Vicentina Thorsten Grütjen [Tosta Mista], às 16h00 (sessão famílias).

Outro destaque do cartaz é «MACBAD», uma incursão pela «peça maldita» de William Shakespeare pelo Teatro Praga. Será no dia 5 de novembro na black box do CAPa – Centro de artes Performativas do Algarve, às 19h00 (sessão famílias).

MOCHILA, Festival de Teatro para Crianças e Jovens organizado pelo LAMA Teatro decorre até dia 12 com música, novo circo e performance e teatro.
MacBad. Foto: Alipio Padilha.

A 6 de novembro, a Companhia de Actores leva à cena, no auditório do IPDJ, às 11h00 (sessão famílias), «Xamamã», uma criação para todas as idades. No mesmo dia, no Jardim da Alameda João de Deus será possível assistir a «Australopiteco», espetáculo da companhia Universo Paralelo que aborda o tema da diferença, às 16h00 (sessão famílias).

A 9 e 10 de novembro João de Brito coordena o espetáculo «Puzzle» que se apresenta na Biblioteca Municipal de Faro e é o resultado do trabalho com o projeto Estojo, com sessões às 19h30 e 21h00.

«Passa-se quase uma espécie de aquário. O público observa de fora e vê tudo através das janelas do auditório. É uma performance sobre as urgências das pessoas, as coisas que as preocupam. Tem texto e muita parte física de dinâmicas de grupo», refere João de Brito.
Outro ponto alto será a 11 de novembro, no Teatro das Figuras, às 21h00, com o concerto dos Mão Verde, projeto de Capicua, Pedro Geraldes, Francisca Cortesão e António Serginho.

Por fim, a 12 de novembro, às 15h00, será possível assistir a «Concerto para uma árvore», de Fernando Mota, no Jardim da Alameda João de Deus, e a «Une partie de soi», espetáculo de novo circo de João Paulo Santos, que terá lugar no Largo da Pontinha, às 17h00.

Concerto para uma árvore. Foto: Dinis Santos.

O MOCHILA vai ainda ocupar diversos espaços da cidade, com a performance do Gang das Mochilas, composto por cerca de 50 jovens intérpretes do Curso Profissional de Artes do Espetáculo da Escola Tomás Cabreira.

Em paralelo decorrem ainda diversas atividades, como oficinas sensoriais coordenadas pelo músico NOISERV e a conversa «Que bagagem levamos às costas para encarar o futuro?» com mediadores culturais, professores e estudantes; e a exibição do filme «The Kid» de Charles Chaplin. Em 2023, o MOCHILA vai andar por Faro, Loulé e Lagos.