Lagoa lamenta atrasos da Algar na recolha de resíduos recicláveis

  • Print Icon

Município é responsável pela recolha dos resíduos urbanos indiferenciados, mas lembra que responsabilidade da recolha dos resíduos recicláveis é da Algar.

Segundo nota da Câmara Municipal de Lagoa, «esta situação tem sido sentida, principalmente, desde a segunda quinzena de julho, e os serviços desta Câmara Municipal têm dado a resposta necessária, com vista à recolha diária dos resíduos urbanos indiferenciados, de forma a que não existam contentores por recolher».

No entanto, no que toca à recolha dos resíduos recicláveis, «importa aqui esclarecer, mais uma vez, que a entidade responsável por essa recolha não é o município de Lagoa, mas sim a Algar, fruto de uma concessão do Estado Português desde os anos 90. Assim, a Algar, uma empresa com capital maioritariamente privado, é a responsável pela recolha seletiva em todos os municípios de Algarve. Não é uma empresa contratada por esta Câmara e não temos, infelizmente, qualquer poder na gestão/organização dos serviços de recolha da Algar», explica a autarquia.

Os responsáveis municipais explicam que «por estarmos em pleno mês de agosto, com um significativo afluxo de turistas e um aumento exponencial da atividade comercial no concelho, existe um aumento também exponencial na quantidade de resíduos produzido». Face a isto, «apesar do forte investimento que tem sido feito na instalação de novas ilhas ecológicas por parte do município e de novos ecopontos de superfície por parte da Algar, a empresa não tem tido capacidade para recolher diariamente os ecopontos que vão ficando cheios, originando situações indesejáveis e que reprovamos veementemente», aponta a edilidade.

Numa ótica de colaboração com a Algar, os serviços do município «acompanham e monitorizam diariamente o estado de enchimento de todos os ecopontos existentes no concelho, reportando, também diariamente, essa informação à Algar, com o objetivo de ajudar a uma melhor organização dos seus circuitos de recolha e de evitar que os ecopontos estejam cheios e sejam recolhidos com a frequência necessária a garantir que o concelho se mantenha limpo e com a qualidade que se pretende».

Para minimizar situações «em que os ecopontos e as ilhas ecológicas estão completamente cheias e com resíduos na sua envolvente», o Serviço de Limpeza da Câmara Municipal «afetou parte das suas equipas, com os custos inerentes para o erário público e num serviço que não nos compete, à recolha e limpeza dos resíduos recicláveis que se vão acumulando no exterior, de forma a que pelo menos o espaço envolvente aos ecopontos esteja minimamente limpo e sem resíduos».

A Câmara Municipal de Lagoa solicita ainda «a colaboração de todos os nossos munícipes, para que sempre que identifiquem algum ecoponto ou ilha ecológica cheia, possam transportar os seus resíduos até ao próximo ponto de recolha que esteja disponível, evitando-se, assim, acumulações indesejadas».

Os cidadãos poderão também contactar a Algar, informando que em determinada localização o ecoponto está cheio, ajudando a que a entidade organize os circuitos com vista à sua rápida recolha. Esse contacto poderá ser realizado para os números 289 894 480 / 800 203 251 (Linha Verde), ou por e-mail.

Em relação aos produtores não-domésticos, o município apela «a que possam aderir ao serviço gratuito da Algarlinha (800 915 331), que recolhe os resíduos recicláveis diretamente no local de produção, evitando-se, assim, a colocação desses resíduos recicláveis nos ecopontos ou nas ilhas ecológicas, ficando esses equipamentos mais disponíveis para que os produtores domésticos ali possam colocar os seus resíduos».