Hotéis do Algarve registam quebra superior a 60 por cento em julho

  • Print Icon

Turismo nacional representa 61,1 por cento das dormidas no Algarve.

A AHETA – Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turisticos do Algarve divulgou hoje os dados da evolução da ocupação turística na região, comparando com as estatísticas conhecidas do ano de 2019.

Assim, relativamente a 2019, o mês de Julho de 2020 apresentou uma taxa de ocupação global média/quarto de 33,2 por cento, 60,2 por cento abaixo do valor registado em 2019.

Para esta descida acentuada muito contribuiu o mercado britânico, com uma queda de 91,1 por cento, seguindo-se o irlandês com menos 91,9 por cento, consequências da exclusão de Portugal dos corredores aéreos anunciados pelo governo de Boris Johnson.

O grupo é fechado pelo mercado alemão, com uma quebra de 58,9 por cento e pelo holandês (-67,3 por cento).

O mercado nacional tem contribuído para a manutenção da atividade turística no Algarve, apesar da quebra de 8,3 por cento registada. Ainda assim, os turistas nacionais representam 61,1 por cento das dormidas na região.

Cerca de 22 por cento das camas classificadas permaneceram encerradas, pelo que a percentagem de empreendimentos que ainda não reabriram é bastante superior. Em valores acumulados, a ocupação por cama regista uma descida média de 62,9 por cento desde janeiro, e o volume de vendas uma descida de 61,8 por cento.

O volume de vendas apresentou uma descida de 66 por cento face ao mesmo mês do ano anterior.