Hospital de Faro liga doentes na UCI aos familiares por cartas digitais

  • Print Icon

«Combater a doença sem esquecer as pessoas» é este o principal desígnio do projeto «Amor Entrelinhas», criado pelos profissionais de saúde da Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente do Hospital de Faro.

O objetivo é encurtar a distância entre os doentes que se encontram internados na referida unidade e os familiares mais próximos, os quais devido à pandemia se encontram impossibilitados de os visitar.

Com a expansão atual do projeto, não só os doentes internados na UCI Polivalente estão incluídos, como também os doentes em isolamento na unidade devido a infeção por SARS-CoV-2 (COVID-19).

A missão assenta essencialmente na componente da humanização e na criação de um ambiente tranquilizador e de maior proximidade, mesmo em tempos onde a norma é o distanciamento social. 

«Pretendemos desta forma estimular e continuar a manter a comunicação permanente entre os doentes e os seus familiares, seja através das “cartas digitais” ou das mensagens remetidas para um endereço de correio eletrónico criado especificamente para o efeito. Todas as mensagens são lidas por um membro da equipa ou por outros profissionais do serviço junto do doente», referem as mentoras do projeto.

Recentemente, e fruto de um donativo particular de dois tablets, a equipa reforçou os canais de comunicação com a capacidade de proporcionar, sempre que possível e caso a condição clínica do doente assim o permita, videochamadas diariamente entre os pacientes e os familiares.

A adesão ao projeto é voluntária e previamente articulada com os familiares diretos que manifestem tal pretensão, servindo como um diário que inclui informações gerais sobre o doente internado, sem menção a pormenores clínicos específicos.

«A ideia é amenizar a preocupação dos familiares mais próximos, transmitindo-lhes informações relativas ao estado anímico do doente, aspetos relativos à sua alimentação, às suas rotinas no que respeita à evolução de melhoria ou, por exemplo, as suas reações às mensagens de carinho enviadas nas cartas ou através das videochamadas», explica a equipa.

feedback por parte dos utentes e dos familiares tem sido bastante positivo, «tendo ambas as partes (doentes e familiares) demonstrado um enorme sentimento de gratidão dirigido ao projeto e, especialmente, a todos os profissionais da Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente».

A iniciativa teve início no dia 20 de março e até ao dia de hoje, 22 de abril, aderiram ao projeto implementado pela Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente 11 doentes e respetivas famílias, tendo sido recebidas um total de 46 cartas digitais e efetuados 63 diários.

«Apesar da situação de pandemia que enfrentamos, é uma missão do projeto dar o maior apoio possível a todos, profissionais, doentes e seus familiares. Porque até na Saúde, o Amor está Entrelinhas!», concluem.