Farense com mais um deixa-se empatar e complica luta pela manutenção

  • Print Icon

Jornada 31 da Liga NOS trouxe ao Estádio de São Luís o Vitória Sport Clube. Farense fez uma exibição de grande nível mas não teve cabeça para segurar uma vantagem que durou até aos descontos.

Jorge Costa apostou num 11 virado para a frente nesta noite de segunda-feira, 6 de maio, dando a titularidade a Bilel. Mas a noite dos algarvios começou num autêntico pesadelo. É que, logo no segundo minuto da partida, uma grande assistência de André Almeida deixou Rochinha com o golo à mercê e o forasteiro não desperdiçou.

Diga-se que a reação algarvia a tão forte soco logo a iniciar a partida, roçou a perfeição. O Farense subiu na busca pelo empate e almejou-o logo aos 12 minutos. Gauld, pois claro, assistiu com conta, peso e medida o avançado Pedro Henrique, que desviou subtilmente para o fundo das redes.

O Vitória de Guimarães respondeu por Rochinha, que ia complicando a vida à defensiva farense, mas o remate do português teve superior oposição de Beto (23′).

Quem acabou mesmo por chegar ao segundo foi o Farense, com um brinde dado de mão beijada pelo keeper vimaranense. Bruno Varela subestimou a oposição de Pedro Henrique e o avançado dos algarvios desarmou-o, assinando o «bis» na partida.

Até ao fim da primeira parte, mais uma oportunidade para cada equipa faturar: primeiro, Rochinha a surgir na cara de Beto ao minuto 36 e a ver o guardião, a meias com César, negar um golo que parecia certo; depois, ao minuto 43, Bruno Varela redimiu-se com duas excelentes defesas, primeiro a um livre de Lucca, e depois à recarga de Pedro Henrique.

Farense Vitória
Foto: Nelson Ferreira

O regresso aos balneários trouxe Cássio Scheid no lugar de André Pinto e mais uma chance de golo para a turma de Faro, novamente por Pedro Henrique, logo ao minuto 47. O avançado, que esteve endiabrado, obrigou Bruno Varela a uma defesa a dois tempos.

O Farense recebeu novo tónico aos 51 minutos, com a expulsão de Suliman. O central do Vitória Sport Clube entrou de forma completamente despropositada sobre Pedro Henrique, acertando na cabeça do avançado dos algarvios. Como já carregava um amarelo, acabou por levar o segundo e o respetivo cartão vermelho, deixando os Leões de Faro em superioridade numérica. Jorge Costa lançou, depois, Fabrício Isidoro no lugar do apagado Licá, para dar maior segurança ao miolo da equipa.

Havia motivação algarvia para o terceiro golo, e ele até aconteceu, por duas vezes, ambas anuladas. Primeiro, Cássio Scheid cabeceou para as redes mas estava em fora de jogo (64′). Três minutos depois, Pedro Henrique isolou-se e atirou para a baliza mas…também estava offside.

Só dava Farense na segunda parte e, aos 72 minutos, houve nova oportunidade flagrante para golo. Num belo desenho do ataque algarvio, Fabrício assistiu para o coração da área onde Ryan Gauld disparou por cima.

Farense Tomás Tavares
Foto: Nelson Ferreira

Com a equipa a mostrar qualidade mas também alguns indícios de fadiga, o treinador dos algarvios voltou a mexer ao minuto 74. Foi Djalma a entrar no terreno de jogo, para render Bilel.

Apesar da inferioridade numérica, o Vitória carregou na busca pelo golo da igualdade. E quando já nada o fazia prever, o balde de água fria caiu mesmo no São Luís, já em período de descontos. Lameiras teve todo o espaço no flanco esquerdo do ataque minhoto para tirar um cruzamento tenso, que encontrou a cabeça de Quaresma a selar o empate.

Com este resultado, o conjunto de Faro soma agora 28 pontos e continua no 17º lugar, ficando a três pontos da primeira equipa na zona segura da tabela. Na próxima jornada do campeonato, o Farense desloca-se ao Estádio do Dragão para defrontar o FC Porto, segunda-feira, dia 10 de maio, às 20h15.