Expulsão e penálti ao «cair do pano» derrubam Farense frente ao Chaves

  • Print Icon

São Luís recebeu um dos candidatos à subida. Farense vendeu cara a derrota, mesmo em inferioridade durante quase toda a segunda parte. Vitória do Chaves surge «ao cair do pano», em penálti muito contestado.

O Farense recebeu o Desportivo de Chaves na manhã de hoje, sábado, dia 30 de abril, em partida a contar para a 32ª jornada.

O início foi de loucos! Primeiro, foram os flavienses a ficar certíssimo do golo, com a trave a evitar o sucesso do remate de João Mendes, ao quarto minuto. Depois, Elves Baldé ficou perto do golo ao minuto seis, cabeceando ao lado, e Lucca, aos sete minutos, obrigou Paulo Vitor a uma grande defesa, com um remate de meia distância.

Elves Baldé voltou a tentar aos nove minutos, após um bom envolvimento ofensivo com Mayambela, mas a trivela do extremo errou o alvo.

O golo acabou por chegar, mas para os forasteiros. Após um cruzamento do ataque transmontano, Cláudio Falcão aliviou para a carreira de tiro e Wellington não se fez rogado: disparou uma bomba para o fundo das redes algarvias, fazendo o 0-1.

O ritmo de jogo baixou um pouco, mas o Farense até podia ter empatado mesmo em cima do intervalo. Madi Queta desmarcou-se e surgiu isolado na cara de Paulo Vítor, com tudo para fazer o golo. No entanto, adornou em demasia o lance e acabou por ver o guardião a travar os seus intentos.

A etapa complementar trouxe um Desportivo de Chaves mais recuado, e a primeira chance de golo pertenceu as algarvios. Ponde falhou por muito, muito pouco o desvio a um cruzamento, ao minuto 56.

Depois, surgiu algo que tem sido frequente nesta temporada: uma expulsão para o Farense. Ao minuto 57, Róbson não gostou de uma decisão do árbitro, que o ia admoesta com um cartão amarelo, excedeu-se nos protestos e acabou expulso, com vermelho direto. Tudo o que a equipa algarvia não precisava num jogo já de si complicado…

A verdade é os Leões de Faro reagiram bem à contrariedade e acabaram por beneficiar de uma grande penalidade ao minuto 63. Alexsandro não conseguiu acompanhar a rapidez de Mayambela e acabou por derrubar o sul-africano. Depois, na conversão, Cristian Ponde não falhou e empatou a contenda.

E mesmo após o empate, a inferioridade numérica não encolheu o Farense, que continuou a procurar ativamente a baliza adversária. Ainda assim, perto do minuto 80, Ricardo Velho teve de se aplicar para evitar o golo flaviense, após remate de Juninho.

A turma da capital algarvia respondeu dois minutos depois, através de um livre: Miguel Bandarra quase surpreendeu Paulo Vítor, mas o guardião brasileiro voou e evitou o golo.

O esforço foi, no entanto, inglório: é que aos 90 minutos, o árbitro descortinou uma falta de Cláudio Falcão sobre Patrick dentro da grande área, num lance muito duvidoso. Na respetiva grande penalidade, João Batxi fez o segundo e garantiu a vitória para o Desportivo de Chaves.

Com este resultado, os algarvios ficam no 11º lugar, com 40 pontos. Na próxima jornada, o Farense recebe o Varzim, dia 8 de maio, domingo, às 14h00.