COVID-19: Portimão e Monchique entre os 10 concelhos em risco extremo

  • Print Icon

O número de concelhos com risco elevado e muito elevado de infeção pelo vírus SARS-CoV-2 aumentou esta semana de 154 para 194, com 10 municípios em risco extremo.

Segundo indicou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS), Barrancos, Carregal do Sal, Mira, Monchique, Portimão, Serpa, Soure, Terras de Bouro, Vila Nova de Paiva e Vimioso são os dez concelhos com mais de 960 casos de infeção por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Em risco muito elevado estão 68 concelhos, com uma incidência entre 480 e 959,9 casos por 100 mil habitantes, enquanto 110 municípios apresentam uma taxa de incidência cumulativa a 14 dias entre 240 e 479,9 casos por 100 mil habitantes.

Com incidência entre 240 e 479,9 casos por 100.000 habitantes estão hoje 64 concelhos, menos 34 do que na semana passada.

O único concelho português com incidência de casos inferior a 20 é Vila do Porto.

Na nota explicativa dos dados por concelhos é referido que a incidência cumulativa «corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada».

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 2.535 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 21 mortes atribuídas à covid-19, registando-se uma ligeira redução dos internamentos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o boletim diário da DGS, estão internadas 902 pessoas com covid-19 (menos 14 do que na quinta-feira), das quais 129 em unidades de cuidados intensivos, onde deu entrada mais uma pessoa nas últimas 24 horas.

Incidência de infeções volta a aumentar e Rt baixa para 1,13

A incidência de infeções do vírus SARS-CoV-2 a nível nacional voltou a aumentar, passando para 374 casos por 100 mil habitantes, enquanto o índice de transmissibilidade (Rt) desceu ligeiramente para 1,13 no país.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), a nível nacional, a taxa de incidência passou, desde quarta-feira, de 349,8 casos de infeção por 100 mil habitantes a 14 dias para os atuais 374.

Considerando apenas Portugal continental, este indicador registou também um crescimento de 351,4 casos por 100 mil habitantes para 376,5.

O Rt – que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de cada pessoa portadora do vírus – registou um ligeiro decréscimo a nível nacional, de 1,15 para 1,13 entre quarta-feira e hoje, descendo de 1,16 para 1,14 ao nível de Portugal continental.

Os dados do Rt e da incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias – indicadores que compõem a matriz de risco de acompanhamento da pandemia – são atualizados pelas autoridades de saúde à segunda-feira, à quarta-feira e à sexta-feira.