Casa das Virtudes regressa ao ativo com novo espetáculo «Memórias»

  • Print Icon

Dupla Gérald Oliveira e Ricardo Morujo assinam a dramaturgia, encenação e interpretação do novo espetáculo de circo contemporâneo «Memórias» na Casa das Virtudes, em Faro.

O espetáculo é uma criação inédita de ambos, utópica, desenvolvida durante o último confinamento pela dupla de acrobatas/bailarinos, cuja estreia está marcada para sexta-feira, dia 23 de abril, às 21 horas.

Esta tarde, a dupla de cofundadores da Casa das Virtudes, mostrou aos jornalistas um pouco do trabalho que aposta num jogo de luz complexo e acrobacia aérea.

«Em cada confinamento, criamos um espetáculo com vista à reabertura. A nossa área exige que se mantenha uma forte capacidade física e por isso nunca deixámos de treinar. Mantivemos sempre o ritmo e é neste contexto que surge esta criação», explicou Ricardo Morujo.

Teresa Machado, grande figurinista de Lisboa criou os adereços. A bailarina Rita Spider assina a consultadoria artística.

Para este ano, a equipa vai apostar em várias novas criações e cabe a «Memórias» abrir a temporada.

A ideia é que os espetáculo desenvolvidos na Casa das Virtudes tenham estreia exclusiva em Faro e depois possam ser apresentados noutras salas do país.

Infelizmente, devido ao contexto pandémico e à juventude do projeto (abriu portas em janeiro de 2020), tal ainda não aconteceu.

«Como qualquer empresa que esteve fechada, estivemos em regime de layoff, mas só fechou ao público. Estivemos sempre a desenvolver trabalho para que a reabertura tivesse um grande espetáculo, que as pessoas venham e se divirtam connosco», disseram aos jornalistas.

Gérald de Oliveira iniciou o seu percurso no desenvolvimento de vários projetos de teatro de rua em Ponte de Lima. Fez a sua formação na Escola Profissional de Artes e Ofícios de Espetáculo (Chapitô), em Lisboa.

Realizou diversos projetos na área social, bairros, instituições e prisões de menores, em simultâneo com o seu trabalho de produtor em diversas vertentes, tais como animação, espetáculo, eventos, projetos de rua, televisão, entre outros. É formador de artes circenses.

Ricardo Morujo começou a sua vida vida profissional aos 18 anos. Conta com um vasto currículo na televisão e esteve em palco em produções de Filipe Lá Feria no Teatro Politeama e Casino de Estoril. Atualmente é produtor, diretor artístico e intérprete na Casa das Virtudes.

A Casa das Virtudes é um projeto cultural que quer ficar em Faro.

Tem como finalidade acolher e promover as artes e os artistas portugueses e de origem lusófona baseando-se numa programação multifacetada, como o circo, a dança, a música, as artes plásticas, entre outros.

Como agentes culturais, a principal missão centra-se na comunicação com a comunidade através das artes, contagiando com a sua vivacidade, a sua vertente interventiva, cultural e social.

Define-se como objetivo programático e criativo um produto artístico diferenciado, que segue a premissa de unir várias artes, tendo como mais-valia as artes circenses.

Baseado na génese da cultura, é fundamental agregar diversos parceiros ao projeto, com intuito de desenvolver um trabalho em rede com várias estruturas culturais já existentes.

«Acreditamos no trabalho em regime de parceria, fortalecendo o know-how de cada parceiro num objetivo conjunto», concluem.