Árbitro protagonista na derrota do Farense frente ao Estrela da Amadora

  • Print Icon

Manhã deste sábado, dia 21 de agosto, tinha tudo para ser de grande futebol, mas virou festival de cartões na Amadora, muitos sem qualquer sentido. Vítor Ferreira assumiu as rédeas e o protagonismo da partida, e deitou ao tapete um Farense que, enquanto resistiu, até jogou bem, mas acabou com oito elementos em campo, fruto de três vermelhos diretos.

Foi uma manhã de reencontros no Estádio José Gomes, na Reboleira: de um lado, Vítor São Bento, Fabrício Simões e André Geraldes, atual presidente da SAD tricolor e antigo CEO do Sporting Clube Farense, voltaram a cruzar caminho com os algarvios; do outro, Paollo Madeira, que reencontrou colegas com quem partilhou balneário na última época, no Estrela da Amadora.

Dentro do relvado, Jorge Costa apostou na titularidade de Paollo no lugar de Vasco Lopes. Nos primeiros 15 minutos, houve várias aproximações de parte a parte, mas a mais perigosa pertenceu aos algarvios: Elves Baldé aproveitou um mau passe de São Bento, progrediu e rematou para defesa do guardião do Estrela da Amadora. Na recarga, Pedro Henrique quase marcou mas a defesa adversária rechaçou a tentativa.

A verdade é que o avançado brasileiro acabou por almejar o golo aos 17 minutos. Após cruzamento resultante de uma boa combinação no ataque farense entre Abner e Elves Balde, a bola sofreu vários ressaltos e sobrou para Pedro Henrique, que abriu o ativo.

Mas logo a seguir, à passagem do minuto 21, as coisas complicaram-se para os Leões de Faro, que ficaram reduzidos a 10 unidades: após uma entrada fora de tempo, Bura foi expulso com vermelho direto. E como um mal nunca vem só, Elves Baldé lesionou-se e teve de sair ao minuto 25. Para o seu lugar, entrou Mayambela.

Daqui em diante, a turma da Amadora assumiu as rédeas do encontro, tentando fazer valer a superioridade numérica. No entanto, a defensiva algarvia ia sustendo a pressão e segurou a vantagem até ao tempo de descanso.

Farense Estrela
Foto: Nelson Ferreira

No regresso dos balneários para a etapa complementar, Jorge Costa deixou Paollo Madeira nos balneários e lançou Cláudio Falcão, para reforçar a zona defensiva. E a primeira chance para golo pertenceu mesmo aos algarvios. Logo nos momentos iniciais, Alex Pinto apareceu no ataque e rematou para uma defesa apertada de São Bento.

Os Leões de Faro começaram a segunda metade a mostrar as garras e voltaram a ter uma excelente oportunidade ao minuto 50. Mayambela, com um remate cruzado, ficou a centímetros da felicidade.

E se a expulsão de Bura pareceu bem ajuizada, o que se passou ao minuto 63 foi…insólito. Num lance absolutamente normal, em que o avançado do Estrela aparece caído depois de perder uma dividida limpa com Cláudio Falcão e Gut, o árbitro Vítor Ferreira resolve parar o jogo e expulsar Falcão por alegada falta. E se a falta já era discutível, o cartão vermelho…

Mesmo perante o festival de cartões de um árbitro de cabeça perdida, quem ia criando perigo era mesmo o Farense. Ao minuto 68, Mayambela só não fez o segundo dos algarvios porque São Bento deu o corpo às balas.

Farense
Foto: Nelson Ferreira

A verdade é que com tantas contrariedades, ficou difícil ao Farense segurar a vantagem. O Estrela chegou mesmo ao empate à passagem do minuto 81. Foi Leandro Tipote a rematar, num lance onde Defendi quase conseguia desviar o esférico da baliza.

Jorge Costa queria, pelo menos, segurar o empate e refrescou a equipa com as entradas de Vasco Lopes e Henrique, para os lugares de Mayambela e Pedro Henrique. Mas o handicap criado pela expulsão absurda de Cláudio Falcão começava a ser demasiado grande, e o Estrela acabou por virar o resultado aos 85 minutos. Diogo Pinto, à entrada da área, aproveitou uma segunda bola e de primeira chutou para o fundo das redes. Na sequência deste golo, mais uma expulsão para o Farense: Alex Pinto viu o vermelho direto, alegadamente por palavras dirigidas ao árbitro.

Já em período de compensação, o Estrela da Amadora chegou ao terceiro golo. Foi novamente Diogo Pinto, que matou qualquer hipótese de empate que ainda existisse na mente dos jogadores algarvios, num jogo onde acabaram com oito elementos.

O Farense continua sem saber o que é ganhar nesta edição do campeonato, somando apenas um ponto em três jogos. Na próxima jornada, a equipa de Jorge Costa recebe o Feirense, em partida marcada para domingo, dia 29 de agosto, às 19h30.