Aloe vera algarvio dá origem a nova marca nacional e cadeia de lojas

  • Print Icon

Aloegarve é a nova marca portuguesa de cosméticos naturais e vegan, à base de Aloe vera. São já oito as lojas espalhadas na região em poucos meses e o próximo passo é a internacionalização.

Entre Alcantarilha e Porches, num terreno que se estende a cinco hectares, paralelo à Estrada Nacional (EN) 125, crescem 12 mil pés de Aloe vera (Aloe barbadensis miller) de forma orgânica e natural.

Os mais de 300 dias de sol anuais e o clima algarvio possibilitam as condições ideais para a produção desta espécie mediterrânica, que embora não seja autóctone [originária do noroeste de África], há muito que cresce de forma espontânea no sul do país.

Aliás, foi a paisagem algarvia que motivou dois casais de origem indiana, radicados na Alemanha, a escolherem a região para apostar num negócio de cosméticos naturais à base de Aloe vera.

«Com o advento da pandemia de COVID-19, decidimos deixar a Alemanha. Explorámos algumas opções e como já passávamos férias cá, decidimos mudar-nos para o Algarve. Lembro-me de ver plantações de Aloe vera em Aruba e várias empresas locais que apostavam nessa planta. Pensei que podia marcar a diferença no Algarve. Começou por ser uma ideia simples, mas quando investiguei, percebi que não havia aqui ninguém a produzir Aloe vera em grande escala», começa por recordar ao barlavento, Atual Dua, diretor da empresa Aloegarve.

Os empreendedores Atul Dua e Sumit Anand.

Mais tarde, decorria ainda o ano de 2020, «descobri que o meu amigo Sumit Anand, que conhecia há muitos anos da Alemanha, também tinha imigrado para o Algarve com a família. Entrámos em contacto e concordámos que tínhamos trabalhos monótonos ligados ao IT [Tecnologia e Informação]. Criámos a empresa e comprámos o terreno. Como tínhamos zero experiência em agricultura, fomos aprender como produzir de forma orgânica, sustentável e saudável. Em 2021 desenvolvemos o conceito e plantámos as primeiras plantas que cresceram muito bem», acrescenta.

E como chegaram aos cosméticos? «Estudámos o mercado e investigámos bastante sobre o potencial da Aloe vera. Percebemos que é uma planta com inúmeros benefícios medicinais e muito usada desde sempre. Começámos por trabalhar com empresas especialistas na área e desenvolvemos a nossa gama», responde Atul Dua.

Nascia assim a Aloegarve, no início de 2022, com o primeiro espaço físico em Olhos de Água, no concelho de Albufeira.

Em junho, a marca inaugurava a segunda loja e, em apenas dois meses, já tinha oito espalhadas pela região: Alcantarilha, Armação de Pêra, Carvoeiro, Portimão, Olhos de Água, Quarteira, Silves e Vilamoura. Em maio do próximo ano, vão abrir uma nova loja no MAR Shopping Algarve, em Loulé.

«Todo este processo foi muito rápido e de certa maneira beneficiámos com as consequências da pandemia, porque muitas lojas fecharam e conseguimos encontrar vários espaços vagos com excelentes localizações, algumas bem perto da praia», como é o caso de Armação de Pêra e Olhos de Água.

A gama inclui cremes, máscaras, loções, gel de banho e até protetores solares, todos segundo os princípios vegan, à base de Aloe vera biológica, sem qualquer químico ou testes em animais, e com certificação de acordo com a legislação europeia em vigor.

Outro aspeto que têm em comum, numa premissa decidida logo a priori e de «extrema importância» para ambos os responsáveis, é que esta é «uma marca 100 por cento portuguesa. Esse foi sempre o nosso mote. Não sabíamos se seria possível, mas conseguimos. A nossa empresa de consultoria é portuguesa, os especialistas de cosmética que nos ajudam a desenvolver as fórmulas são portugueses, os nossos fornecedores também, assim como toda a cadeia de produção. Trabalhámos apenas com imobiliárias algarvias e até a mobília das nossas lojas é produzida em Portugal», garante Atual Dua.

Para já, os empreendedores não pretendem revelar o volume de investimento, apenas asseguram terem suportado os custos a título pessoal. Ainda assim, a hipótese futura de recorrerem a fundos europeus, não está descartada.

Do «Mergulho» no «Sotavento» à «Maré» do «Barlavento»

Também o nome dos produtos da Aloegarve se inspiram na região algarvia, assim como os ingredientes que os compõem.

Os mais vendidos durante o verão foram os protetores solares «Sotavento» e «Barlavento», adequados a crianças e adultos, que protegem a pele enquanto a hidratam, com ingredientes como azeite, óleo de roseira e óleo de Prímula da noite.

«Sabíamos que era fundamental apostarmos num produto alternativo. A maioria dos protetores solares que existem no mercado são feitos à base de químicos. O nosso tem cerca de 98 por cento de elementos de origem natural», afirma o diretor.

Um dos ex-líbris da Aloegarve é o «Mergulho», um gel para cara e corpo, indicado para hidratar a pele, abrandar o envelhecimento e ainda auxiliar a regeneração após queimadura ou feridas.

A Aloe vera também tem propriedades que ajudam a controlar a acne, «porque potenciam a pele a desenvolver mecanismos próprios de regeneração», explica Atul Dua. E por isso, a marca desenvolveu um creme de face reparador, o «Suculenta», para ser utilizado todos os dias.

Outro produto muito versátil no catálogo é o «Maré», um creme de mãos e corpo, com folha de chá da Índia, óleo de abacate e fragrância de jasmim, que ultra-hidrata e suaviza.

O favorito do responsável é o gel de banho «Costa», que possibilita uma limpeza total do corpo, com efeito hidratante e sensação refrescante após uso. «Todos estes produtos são de factos eficazes, mas gosto muito deste gel de banho porque dá aquela sensação de brisa marinha, com uma fragrância incrível», justifica.

Já para o gerente Sumit Anand, os seus prediletos são os sabonetes.

Num total de 10 variedades (karité, rosa, vinho tinto, romã, laranja e canela, azeitona, limão, aveia e mel, Aloe vera, eucalipto e menta), são todos produzidos de forma artesanal, às camadas, com fragrâncias naturais e Aloe vera 99 por cento concentrada.

Existe ainda a gama «Verde», num segmento superior, que junta ácido hialurónico, panthenol e vitaminas para tratamentos mais intensivos e profundos.

Quanto aos preços, de acordo com os imigrantes, são ligeiramente inferiores à média. «Primeiro olhámos às outras marcas de cosméticos para conseguirmos ser competitivos, apesar de termos produtos de qualidade superior. Decidimos que vamos ter sempre promoções e benefícios. Por exemplo, o Mergulho custa 11,99 euros no formato pequeno, mas se comprar um pack com três produtos do mesmo tamanho, só paga 20 euros, incluindo a embalagem de presente. Juntámos os formatos pequenos em combinações de diversos preços e estes são ideais para presentes ou malas de cabine», explicita Atul Dua.

Em relação à produção, «por enquanto, temos levado as fórmulas a um prestador de serviço que tem as máquinas indicadas. Deixamos que sejam eles a produzir e entregam-nos o produto final, mas é tudo feito em Portugal. Neste momento, já conseguimos fabricar algumas coisas porque já temos equipamento, mas o objetivo a médio prazo é sermos nós a produzir a gama completa aqui no Algarve», assegura.

Um futuro que pode passar pelo Dubai

Apesar de a Aloegarve não estar sequer há um ano no mercado, os primeiros meses foram muito positivos, com encomendas para vários pontos da Europa.

«Possibilitamos as encomendas no nosso website. A maioria são feitas por pessoas que compraram os nossos produtos numa das lojas e querem voltar ou continuar a usar. Temos muitos clientes que regressam e que compram para oferecer. As pessoas dizem que adoraram a qualidade e o conceito. E, sobretudo, mostram-se muito satisfeitas e agradecidas por apostarmos no Algarve», garante Atul Dua.

Os próximos passos, além de adquirirem toda a pequena indústria que precisam para assegurar a totalidade da produção de forma independente, Atul e Sumit fazem planos de expandir a Aloegarve para outros locais, tanto da região como do país. Mas não só.

«Estive no Dubai e levei algumas amostras comigo. Há empresas interessadas em comercializar o nosso catálogo. É incrível porque somos uma empresa muito recente, mas já estamos em conversações. Além disso, temos sido contactados por outras marcas que querem colaborar connosco, sobretudo hotéis que querem usar os nossos produtos em pequeno formato, mas é algo que ainda não temos», refere o diretor.

Em menos de um ano, a marca abriu oito lojas dedicadas.

Esses são os planos para 2023: «conseguirmos estar presentes em muito mais sítios. O objetivo é atingirmos as 15 lojas no Algarve até ao próximo verão. Claro que também procuramos expandir para outros locais do país, mas ainda é difícil prever o futuro. Nunca vamos perder esta essência algarvia e a nossa intenção é que a Aloegarve cresça para empregarmos mais pessoas e para que todos possamos beneficiar», aponta.

Questionado sobre a possibilidade de a Aloegarve se transformar numa grande marca de cosméticos internacional, Atul Dua responde que ainda é uma possibilidade longínqua, mas que não é algo a descartar.

«O caminho é longo e a nossa visão é muito grande e a grande escala. Seria bom para todos, mas não vamos forçar as coisas. Vamos percorrendo o caminho à medida que surge, mas sempre com o nosso objetivo em mente. Se surgirem oportunidades, vamos agarrá-las. Felizmente, o Algarve acolhe e recebe pessoas do mundo inteiro e não temos de ir ao estrangeiro para que nos vejam. Quem vem cá, se gostar da nossa marca, irá falar sobre ela. Nesse sentido, acho que vamos ser bem sucedidos», antevê.

Um selo de sustentabilidade

Uma das grandes preocupações da Aloegarve é a sustentabilidade.

«Quando decidimos qual o tipo de embalagens que queríamos, houve várias hipóteses e escolhemos formatos 100 porcento recicláveis. Apesar de acrescentarem um custo adicional à produção, não hesitámos. Na verdade, até queríamos ter ido mais longe. Pensámos em vender a granel, tal como se fazia antigamente. Contudo, as certificações europeias não o permitem por se tratarem de produtos naturais. Os riscos de contaminação seriam enormes. Assim, tivemos de nos limitar, mas todas as escolhas que fazemos são a pensar no ambiente», garante ao barlavento Atul Dual.

Para conhecer os produtos da Aloegarve, saber a localização das lojas e/ou encomendar, basta consultar o site, as redes sociais (@aloegarve), enviar e-mail (info@aloegarve.com), ou contactar via telefone (282 317 096 / 920 160 577).