Albufeira investe na recuperação total do Jardim do Montechoro

  • Print Icon

Uma das zonas verdes mais emblemáticas de Albufeira está prestes a entrar em obras, com vista à sua total recuperação. Prevê-se que a intervenção fique concluída até ao final do ano.

O município, ciente da grande degradação do espaço, abriu um procedimento concursal destinado a promover a requalificação da zona. A empreitada foi adjudicada no passado dia 10 de setembro, pelo valor de 271121,79 euros, aos quais acresce IVA, e o auto de consignação da obra assinado no dia 26 de outubro, «prevendo-se que os trabalhos fiquem concluídos no prazo de sessenta dias, ou seja na última semana de dezembro», adianta a Câmara Municipal de Albufeira.

O lago, que atualmente se encontra sem água, peixes e tartarugas (provisoriamente colocados num outro jardim da cidade até que termine a obra), irá ver totalmente substituído o sistema de efeitos de água que se encontra obsoleto há vários anos.

Com vista a possibilitar a convivência entre efeitos de água e vida animal, sem esquecer o caráter lúdico do local, conhecido por muitos como o «Jardim dos Casamentos», prevê-se a implementação de efeitos de água simples compostos por jatos borbulhantes e micronizações iluminadas com cor – efeitos de grande impacte visual sobretudo à noite – que reforçam o caráter festivo do equipamento.

As árvores existentes serão mantidas, sendo reforçada toda a zona verde com a plantação de novas espécies arbóreas. Paralelamente, está prevista a colocação de novo mobiliário urbano, nomeadamente bebedouros, mesas de picnic, bancos e iluminação.

O presidente da Câmara Municipal de Albufeira, José Carlos Rolo, refere que o Jardim de Montechoro «faz parte da identidade de uma das principais zonas turísticas da cidade e das memórias de várias gerações de albufeirenses, que ao longo dos anos escolheram o local para marcar um dos dias mais importantes das suas vidas, nomeadamente como cenário privilegiado para as mais bonitas fotos de casamento».

A obra, uma vez concluída, «irá contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população, que desta forma recupera um espaço icónico de lazer e convívio, agora com a vantagem de ser um jardim totalmente inclusivo, cumprindo todas as regras atualmente definidas pela legislação em vigor em matéria de mobilidade», defende José Carlos Rolo.

«Para além disso, é a imagem da cidade que sai a ganhar, com um espaço totalmente reabilitado, sendo de destacar que, na execução do projeto, houve uma enorme preocupação em manter a coesão da malha urbana existente, mais concretamente ao nível dos edifícios e da paisagem envolvente», acrescenta.