Andebol Clube de Olhão congratula-se pelo crescimento das equipas

  • Print Icon

O Andebol Clube de Olhão (ACO), prestes a celebrar três anos de existência, congratula-se pelo crescimento da equipa técnica e do número de atletas.

O Andebol Clube de Olhão (ACO) iniciou a atividade desportiva em setembro de 2019 com um treinador, Vítor Jesus, que é um dos sócios fundadores e ex-atleta da modalidade.

Apesar de dois anos desportivos muito complicados, devido à pandemia de COVID-19, a equipa técnica está reforçada, com a contratação de Sérgio Cabrita, atleta e treinador de renome do concelho e o atual Coordenador Técnico do clube, assim como de André Brito, mestre em Desporto de Recreação pela Universidade do Algarve.

Susana Brito, técnica com vários anos de experiência, é a mais recente contratação, feita a pensar na continuidade do escalão feminino.

Ter uma equipa exclusivamente de meninas foi, aliás, uma das primeiras apostas do ACO, como resposta à lacuna existente no andebol feminino a nível regional e até nacional.

Este investimento nos técnicos só foi possível porque a procura por parte de novos praticantes tem sido significativa.

Em 2019, o clube contava com cerca de 20 atletas nas camadas de formação, dos quais apenas duas meninas, distribuídos por duas equipas.

Atualmente, treinam de forma regular 70 atletas, em cinco equipas: Sub-16 masculinos, Sub-14 masculinos, Sub-13 femininos, Manitas e Bambis. Destes, 10 são meninas.

Segundo Sérgio Cabrita, o clube está agora a trabalhar na «implementação de um modelo de formação, em que sejam predominantes a capacidade de entreajuda e de empatia e o discernimento tático», bem como na captação de novos atletas (masculinos e femininos), com o objetivo de «ter mais escalões a representar a cidade».

«O clube demonstra imenso orgulho na capacidade dos seus atletas, que se reflete nos resultados do campeonato regional e nas performances desportivas dos escalões», afirma o responsável técnico.

O clube foi recentemente posto à prova com a organização, em junho, do II Torneio Helder Lemos, uma prova de veteranos na qual a equipa olhanense (Masters Andebol Algarve) se classificou em primeiro lugar.

Estes atletas com mais de 35 anos deram uma lição de desportivismo, técnica e garra aos atletas mais novos que integraram e assistiram ao torneio.

Os Sub-14 masculinos do ACO conquistaram um honroso 2º lugar, dando provas de que em Olhão se pratica andebol de qualidade.

É importante lembrar que o ACO teve apenas seis meses de atividade desportiva sem COVID-19 e que todo o restante percurso foi ensombrado pela pandemia, que tantas restrições e constrangimentos trouxe aos clubes desportivos.

Mas, diz o clube, «apesar dos sucessivos confinamentos e das paragens nas competições, os atletas prosseguiram a sua aprendizagem através de um acompanhamento online pelos seus treinadores, para o qual também muito contribuiu o apoio das famílias».

Durante o período de interrupção escolar de verão, o clube desenvolveu contactos com diversas entidades para divulgação da modalidade.

Celebrou também um protocolo de parceria não onerosa com uma associação que assegura atividades em escolas do concelho de Olhão, o que é uma mais-valia para a angariação de novos atletas. Para este trabalho é também muito importante a abertura dos agrupamentos escolares.

Outro elemento imprescindível é o apoio financeiro de patrocinadores: Algarve Outlet, Drogaria Raminhos, Conselheiros da Visão, Grupo Abelhas (Sapataria Económica e Bruna Sapatarias), Linergel – Engenharia e Construção, ReleMarket, Rheavendors, VendingPluse, Victoria Ardwino e Saudade, em Olhão, e da AFM e Associação SER IGUAL, em Tavira.

As instituições públicas tiveram igualmente um papel fundamental, tanto na logística como no apoio financeiro, com destaque para a Câmara Municipal de Olhão, a Junta de Freguesia de Olhão e a Junta de Freguesia de Pechão.