Um novo olhar sobre a história de Castro Marim em «100 Memórias»

  • Print Icon

Projeto «100 Memórias de Castro Marim», uma iniciativa pilar na construção da história do concelho e do território e um enorme contribuindo para a construção de um novo olhar sobre a identidade cultural e social castromarinense, foi ontem apresentado na Casa do Sal.

A cerimónia de apresentação foi organizada em grupos de 10 pessoas, cumprindo as regras vigentes desde o dia 15 de setembro, no âmbito do período de contingência que vigora no país.

A exposição agora patente na Casa do Sal reúne cartas, fotografias, postais, documentos, livros e outras tantas recordações que foram legadas ao novo Arquivo Digital da câmara municipal, arquivo que está desde ontem disponível para consulta pública online.

Aqui pode pesquisar e consultar a documentação na posse do município de Castro Marim, que será periodicamente carregada e atualizada.

Na sua ação pedagógica, as «100 Memórias de Castro Marim» criam, mais do que um espaço físico, um espaço virtual imortal, que deixará um legado às gerações futuras.

É uma exposição que vai muito além da história de Castro Marim, os espólios locais cruzam-se com a história do território e de um país fechado.

Aqui encontram-se, a título de exemplo, projetos da primeira grande obra pública do Estado a favor do município, a EN 126 e a Ponte da Esteveira, que passou a ligar a vila ao litoral, licenças para passagem na fronteira, árvores genealógicas de famílias influentes no país ou personalidades que radicaram no território e que por aqui se destacaram.

O projeto «100 Memórias» nasceu no final do ano passado, com um repto lançado à população, para que cedessem estas recordações pessoais e/ou familiares ao município.

Inspirado na necessidade de preservar, tratar e divulgar a documentação histórica de Castro Marim, a autarquia de Castro Marim construiu agora uma narrativa cronologicamente contextualizada, que permite não só um resgate do passado, mas também a construção de um novo significado sobre o mesmo.

Neste mergulho às memórias individuais e fragmentadas, foi também realizado um levantamento audiovisual sobre o património imaterial de Castro Marim, que pode ser visualizado numa mesa digital disponibilizada na exposição e, brevemente, no site da autarquia.

«Este projeto abre uma janela para o mundo, e eterniza memórias das obras e das gentes que têm contribuído para a linda história deste território. O seu enriquecimento, dependerá daquilo que cada um que nele queira acrescentar e dos guardiões deste legado, que têm trabalhado com muita entrega, profissionalismo, com paixão e alma», sublinhou a vice-presidente e vereadora da Cultura, Filomena Sintra.

A responsável aproveitou ainda para apelar às pessoas que continuem a contribuir, partilhando as suas memórias, por empréstimo ou doação.

E agradeceu a imprescindível colaboração de particulares e instituições, bem como de todos os colaboradores do município de Castro Marim.

As «100 Memórias de Castro Marim» integram também uma exposição de rua e a edição de um jornal com este espólio, inspirado no primeiro jornal existente em Castro Marim «Flores sobre Ruínas».

O projeto das «100 Memórias de Castro Marim» é cofinanciado pelo Programa Interreg Espanha-Portugal 2014-2020, apoiado pela União Europeia, cofinanciado a 75 por cento pelo FEDER, projeto 0131_FOURTOURS_5_E, e conta com a colaboração de todas as Juntas de Freguesia e da comunidade.

Os interessados podem continuar a colaborar através de email (100memorias@cm-castromarim.pt).