Teatro Griot estreia «No Meio do Caminho» ao Cineteatro Louletano

  • Print Icon

«No Meio do Caminho», o próximo espetáculo do Teatro Griot, no Cineteatro Louletano, dia 7 de outubro, com encenação de Miguel Loureiro.

«No Meio do Caminho», o próximo espetáculo do Teatro Griot, que parte de «A Divina Comédia» de de Dante Alighieri, estreia em Loulé, no Cineteatro Louletano, dia 7 de outubro, onde também se apresenta dia 8, sempre às 21h00. Depois disso, continua carreira em Odivelas, no Centro Cultural Malaposta, nos dias 22 e 23 de Outubro.

A peça, encenada por Miguel Loureiro, tem como base «A Divina Comédia», epopeia medieval que narra a viagem de Dante pelos três lugares do Além: Inferno, Purgatório e Paraíso.

«Três actores estão num lugar impreciso, uma sala, um gabinete, um estúdio ou nada disto, em que vão tentando reproduzir o texto, as personagens, os mitos e os vícios de raciocínio ligados a esta obra-prima, que não foi originalmente pensada para ser drama, para ser cena», lê-se na sinopse.

As personagens terão de atravessar três projeções metafísicas: o inferno, lugar de condenação e de dor; o purgatório, onde o humano se penitencia e purifica e e o paraíso, pináculo de redenção e meta da aventura.

«Sustentam-se as coordenadas desta empreitada nos seguintes pontos: o ponto da fábula, a peregrinação de Dante ao Centro do Mundo, com os diálogos, as ações e as passagens de um círculo ao outro, que poderia bem configurar um drama medieval em estações, à semelhança de obras sacras do teatro litúrgico da época. O ponto moral é a questão central na obra».

«Como dialogar com a moral cristã nos nossos tempos fortemente seculares? As questões das personagens, o que representam de nós, como nos aproximamos desta escrita alegórica e a reclamamos para nós, nem que seja por uns momentos?; Por fim, o ponto simbólico, como tornar em matéria teatral tudo o que na obra se joga no oculto, a começar desde logo pelo número três: a Santíssima Trindade, os 33 cantos, as tercenas, as espirais, os vórtices, os estreitos, as bifurcações e os passos em falso deste lugar, a meio do nosso caminho de criadores».

A interpretação é de Daniel Martinho, Tiago Barbosa, Zia Soares.

Depois de Loulé, a peça continua carreira em Odivelas, no Centro Cultural Malaposta, nos dias 22 e 23 de outubro.

Esta coprodução do Cineteatro Louletano conta com o apoio de Batoto Yetu, Câmara Municipal de Loulé, Centro Cultural da Malaposta, DeVIR/CAPa – Centro de Artes Performativas do Algarve, Junta de Freguesia da Misericórdia, Khapaz, Polo Cultural Gaivotas Boavista.