Portimão: Plasticine, Yuca e The Mirandas no «Choque Frontal ao Vivo»

  • Print Icon

No palco do TEMPO – Teatro Municipal de Portimão, nos dias 20 de janeiro, 17 de fevereiro e 17 de março, sempre às 21h00.

O novo ano traz de volta, ao palco do TEMPO – Teatro Municipal de Portimão, as gravações do «Choque Frontal ao Vivo», programa da rádio Alvor FM apresentado há vários anos por Ricardo Coelho e Júlio Ferreira, onde a música convive com outras expressões artísticas.

O primeiro trimestre de 2022 contará com as prestações de Plasticine (20 de janeiro), Yuca (17 de fevereiro) e The Mirandas (17 de março), sempre às 21h00 e com entrada gratuita.

Os Plasticine, que se apresentarão já no próximo dia 20 deste mês, definem-se como um coletivo musical de influências variadas, do soul ao afro-beat, passando por rock, pop, R&B, jazz, world music e fusão.

Deste projeto, formado em 2018, já fizeram parte 27 músicos, subindo desta vez, ao palco do TEMPO, a formação completa, composta por dez elementos, a que se juntarão alguns convidados especiais.

Os convites para esta primeira gravação ao vivo do ano podem desde já ser levantados na bilheteira do Teatro.

No dia 17 de fevereiro é a vez da cantora soul Yuca, que participou no programa «Got Talent» da RTP e que nos últimos anos tem lançado temas que realçam os traços das sonoridades afro-americanas, dos quais se destaca a personalidade da sua voz.

Por fim, no dia 17 de março, será a vez do trio The Mirandas, surgido em 2013 e impulsionado pelo amor dos seus intervenientes pelos blues e pelo rock das décadas de 50, 60 e 70.

Guia Algarve convida residentes e turistas a participar em atividades locais.
The Mirandas.

Entre partilhas e conversas, e sempre com um copo de vinho como quarto elemento, Inês Miranda, Ivo Ferreira e Luís Caracinha começaram a exorcizar com os seus instrumentos frustrações, tristezas e melancolias, frequentemente na companhia sonora de artistas como Robert Johnson, John Lee Hooker, Johnny Cash, Johnny Winter ou Jimmy Hendrix, entre tantos outros.

A este trio juntaram-se posteriormente Ruben Azevedo na bateria e Gabriel Costa nos teclados, formando um quinteto com alguma notoriedade local, que já atuou em eventos como o Festival MED, o Festival Internacional de Blues e o Festival F.