Município de Lagoa apresentou futuro Espaço Gamboa

  • Print Icon

No dia em que o mestre Manuel Gamboa completaria 96 anos de vida, 24 de maio, o município de Lagoa apresentou o projeto de instalação de um espaço dedicado à vida e obra do pintor.

Depois de durante o mês de março, ter sido formalização a assinatura do contrato, chegou o momento de o município de Lagoa apresentar o projeto que levará à concretização de um sonho que foi percorrendo vários anos.

A criação de um o espaço museológico que irá contribuir para o reconhecimento de uma figura incontornável de Lagoa, inserido numa politica cultural de continuidade, promovida pelo município, focada em proteger e valorizar o património cultural de Lagoa, bem como ser um testemunho vivo da história e identidade desta população.

Durante a cerimónia, foram recordados, quer através de vídeos, quer através de testemunhos presenciais, por amigos, pelo presidente de Câmara e ex-autarcas, que tiveram o privilégio de lidar com o mestre Manuel Gamboa, vários episódios da vida e obra, o seu percurso de vida, o seu legado e as suas obras espalhadas pelos quatro cantos do mundo.

Durante a cerimónia, foram apresentados, pela equipa de trabalho, os projetos de Arquitetura, Museologia e Museografia, dando a conhecer o espaço que irá ficar instalado no Centro Cultural do Convento de S. José, em Lagoa.

No Espaço Gamboa ficará exposto um vasto número de obras de arte, já conhecidas, de Manuel Gamboa, mas é pretensão do município que esta espaço venha a contar com obras que integrem coleções particulares que não são do conhecimento publico.

Luís Encarnação, presidente da Câmara Municipal de Lagoa.

«Temos aqui um nicho cultural que preserva a nossa memória, identidade e património, pelo que a escolha do Convento de São José para acolher o Espaço Gamboa está alicerçada em fundamentos sólidos e foi consensual junto da equipa multidisciplinar que tem acompanhado todo este processo», salientou, Luís Encarnação, presidente da Câmara Municipal de Lagoa.

O Espaço Gamboa apresentará três salas correspondentes aos três momentos distintos da sua vida, um espaço com as primeiras obras do pintor, uma sala de exposição clássica com as peças mais importantes que estão no acervo da Câmara Municipal de Lagoa, áreas de interação para os visitantes e terá uma sala dedicada aos serviços educativos, que são essenciais em qualquer espaço museológico dos tempos modernos.

«Este é um momento importantíssimo para a população Lagoense, onde apresentamos um espaço há muito ambicionado por todos e que vem trazer um justo reconhecimento a um pintor do mundo, uma incontornável figura da nossa história e da nossa identidade», concluiu Luís Encarnação.