Fernando Pessanha lançou «A Pirataria no extremo Sotavento algarvio»

  • Print Icon

Historiador Fernando Pessanha apresentou o livro «A pirataria no extremo Sotavento algarvio nos alvores da Idade Moderna».

A Biblioteca Municipal Vicente Campinas, em Vila Real de Santo António (VRSA), acolheu o lançamento do livro «A Pirataria no extremo Sotavento algarvio nos alvores da Idade Moderna», da autoria do historiador Fernando Pessanha, ao final da tarde de ontem, dia 18 de novembro.

A sessão, que contou com as palavras introdutórias da vereadora da Câmara Municipal de VRSA, Conceição Pires, e da delegada da Direção Regional da Cultura do Algarve, Adriana Freire Nogueira, contou ainda com a presença do Capitão-de-Fragata Rui Vasconcelos de Andrade, comandante do porto de VRSA, em representação da Marinha Portuguesa, que originalmente publicou esta investigação de Fernando Pessanha em Academia de Marinha – Memórias 2019.

Durante a sessão, o historiador algarvio, doutorando da Universidade de Huelva e investigador da Associação Ibérica de História Militar, dissertou sobre a atividade do corso e da pirataria das imediações da foz do Guadiana, identificando ataques que tiveram lugar no concelho de Santo António de Arenilha, assim como a origem dos principais grupos de piratas e dos cavaleiros da Ordem de Cristo responsáveis pela defesa das nossas costas.

Fernando Pessanha, técnico superior de cultura do Arquivo Histórico Municipal António Rosa Mendes, chamou ainda a atenção para a necessidade de se desenvolverem projetos de investigação que atribuam visibilidade ao concelho e que permitam a criação de novas imagens de marca que viabilizem novas estratégias a nível do turismo cultural.