«Concertos d’Encanto» regressam a Cacela Velha em julho

  • Print Icon

Magia da música árabe e oriental está de volta ao Largo da Fortaleza, em Cacela Velha, com três «Concertos d’Encanto» nos dias 15, 16 e 17 de julho de 2022, sempre às 21h30.

Os espetáculos, com lugares sentados, terão lugar no Largo da Fortaleza, um anfiteatro natural virado para o mar que, na antiguidade, foi um importante ancoradouro de novas modas, produtos, costumes e novas sonoridades.

No dia 15 de julho (sexta-feira), estarão em destaque as músicas tradicionais inspiradas nas culturas do Magrebe e Médio Oriente com a formação Al-Maqam (Marrocos). O grupo é constituído por quatro músicos originários de Tétouan, Tanger e Chefchaouen (Marrocos), que interpretam a música complexa e delicada do Al-Andalus.

A 16 de julho (sábado) sobem ao palco os Wayam Ensemble (Marrocos/Síria/Egito), com músicas e danças do Médio Oriente. Formado por quatro músicos provenientes de Marrocos e da Síria, o grupo faz-se acompanhar por um bailarino egípcio que interpreta danças espirituais e folclóricas de estilo turco e egípcio.

Os «Concertos d’Encanto» encerram a no domingo, dia 17 de julho, com os Muhsilwan (Marrocos/Sudão/Guiné Conacri), que se apresentam ao público com músicas de fusão. Este trio de músicos muçulmanos de raiz afro-árabe e com componentes naturais do continente africano leva a palco um espetáculo assente em temas tradicionais dos seus países de origem, interpretados com instrumentos «de enorme beleza visual e sonora».

As entradas para os concertos têm o valor unitário de oito euros e encontram-se à venda online, na BOL, ou na bilheteira física do Centro Cultural António Aleixo, em Vila Real de Santo António. Não serão vendidos bilhetes à porta do recinto.

A organização dos «Concertos d’Encanto» está a cargo da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, que visa a implementação de uma programação cultural em Cacela Velha, «importante núcleo urbano historicamente enquadrado no período do Gharb al-andalus, valorizando a herança islâmica e as culturas mediterrânicas».