Cineteatro Louletano reagenda todos os espetáculos suspensos

  • Print Icon

Em virtude da pandemia da COVID-19, o Cineteatro Louletano suspendeu a sua programação entre 9 de março e 23 de junho deste ano, incluindo as comemorações do seu 90º aniversário (1930-2020) previstas para 19 de abril.

No entanto, este equipamento cultural do Município de Loulé começou desde logo a trabalhar na remarcação de todos os espetáculos previstos inicialmente, garantindo igualmente o cumprimento junto de artistas e estruturas de todos os compromissos financeiros associados aos mesmos, à luz quer dos acordos que tinham sido definidos na altura da contratualização, quer da legislação específica entretanto produzida pelo governo para minorar o impacto da pandemia junto do sector cultural e artístico.

Assim, em estreita articulação e diálogo com o sector artístico envolvido na programação que estava planeada, foi já definido um novo calendário para o reagendamento, com a maior celeridade possível, de todos os espetáculos a partir de setembro deste ano.

Mais de 50 por cento dos eventos foram remarcados para a temporada entre setembro de 2020 e janeiro de 2021, e os restantes, por razões de disponibilidade de agenda quer do Cineteatro Louletano, quer dos artistas em causa, foram marcados para a temporada que decorre de fevereiro a julho de 2021. As diversas encomendas e coproduções que estavam previstas para 2020 serão igualmente concretizadas nestes dois períodos temporais.

Os bilhetes que foram adquiridos para os espetáculos que já estavam à venda continuarão válidos para as novas datas, sendo que, ainda assim, o público poderá, caso o deseje, solicitar o reembolso do valor dos mesmos junto do Cineteatro Louletano.

A apresentação desta reprogramação artística estará, obviamente, dependente do evoluir da conjuntura geral relativa à pandemia e das orientações entretanto emanadas pelo governo, pela Direção-Geral de Saúde e pela autarquia louletana, mormente no que concerne aos moldes e regras de acesso do público a salas de espetáculo.

Nesta medida, e para além da programação que já estava definida antes do surgimento da COVID-19 para a temporada entre setembro deste ano e janeiro de 2021, relativamente aos espetáculos remarcados está prevista a apresentação da peça «Turismo», de Tiago Correia (uma coprodução do Teatro Municipal do Porto e do Cineteatro Louletano), sobre a pertinente temática da gentrificação como espetáculo de abertura da nova temporada a 12 de setembro.

Ainda na área do Teatro, três peças das quais o Cineteatro Louletano é igualmente coprodutor vão transitar para 2021.

Uma delas é a estreia a sul do país da nova criação da reconhecida dupla Inês Barahona & Miguel Fragata, intitulada «Fake», que terá duas apresentações a 16 e 17 de abril, numa coprodução do Teatro Nacional D. Maria II (Lisboa), Teatro Nacional São João (Porto) e Cineteatro Louletano.

Já a reposição da «Soberana, Mãe Soberana de Loulé», criação de Ana Lázaro e Ricardo Neves-Neves (uma encomenda do Cineteatro estreada em 2019), acontece a 2 e 3 de abril de 2021, num total de quatro apresentações, em véspera do Dia de Páscoa.

Ainda na vertente teatral, mas agora numa dimensão mais multidisciplinar, a 21 e 22 de maio o Cineteatro acolhe a peça «Perfil Perdido» de Marco Martins, com os prestigiados Romeu Runa e Beatriz Batarda, numa coprodução do Centro Cultural Vila Flor (Guimarães), Teatro Nacional São João, São Luiz Teatro Municipal (Lisboa) e Cineteatro Louletano.

Ainda na vertente teatral, o espetáculo «Gulliver», um projeto de Tiago Cadete com Leonor Cabral e Bernardo de Almeida, destinado à comunidade escolar (2.º e 3.º ciclos), será igualmente remarcado ainda para este ano durante o mês de outubro, no âmbito da oferta regular do Cineteatro Louletano dirigida à infância.

Na área da Dança, a realização do Fórum de Dança Inclusiva foi reagendada para os dias 1 a 4 de dezembro deste ano, marcando o início de uma colaboração regular com o Grupo Dançando com a Diferença (sediado na Madeira), reflexo da estratégia programática do Cineteatro de privilegiar esta área nas próximas temporadas, numa estreita articulação e envolvimento das instituições de cariz social do concelho de Loulé.

Para 12 de maio de 2021, véspera do feriado municipal em Loulé, foi remarcada a peça «O lugar do canto está vazio», numa criação conjunta da Companhia Maior com a dupla Sofia Dias & Vítor Roriz (dança contemporânea), da qual o Cineteatro Louletano é igualmente coprodutor juntamente com o Centro Cultural de Belém.

Por seu lado, a Festa do Cinema Italiano, que em 2020 assinala a sua 13ª edição, vai realizar-se nos dias 26 a 29 de novembro em Loulé, quer com uma homenagem a Federico Fellini a propósito do centenário do seu nascimento (1920-2020), quer com o melhor do novo e premiado cinema italiano.

Já o Som Riscado – Festival de Música e Imagem de Loulé – evento com um conceito inédito a sul do país – foi remarcado para os dias 19, 20, 21 e 22 de novembro, mantendo exatamente a mesma programação artística que estava inicialmente prevista e já anunciada, da qual constam os seguintes nomes: Surma com Camille Leon & Inês Barracha; os Drumming GP com Joana Gama, Luís Fernandes e Pedro Maia; Victor Gama com a Orquestra Clássica do Sul; Frankie Chavez & Peixe no projeto «Miramar» em parceria com Jorge Quintela; a estreia nacional do primeiro disco do projeto algarvio Grafonola Voadora & Napoleão Mira; a nova criação dos Boris Chimp 504; a Sonoscopia; a Companhia de Música Teatral; e as bandas algarvias Kilavra, 2143, Mateus Verde e Heroin Holiday Big Band em colaboração criativa com alunos do curso de Imagem Animada da Escola Superior de Educação e Comunicação (ESEC) da Universidade do Algarve.

No campo da Música, as três principais encomendas do Cineteatro Louletano, que já estavam anunciadas, serão realizadas nas seguintes datas novas: o Trio de Jazz de Loulé apresenta-se com Jorge Palma, num concerto inédito, a 30 de setembro deste ano, na véspera do Dia Mundial da Música; no mês seguinte, a 24 de outubro, outro momento muito aguardado com o encontro entre a prestigiada cantora Sofia Escobar e um ensemble de docentes do Conservatório de Música de Loulé; e já em 2021, nos dias 5 e 6 de fevereiro, acontece a estreia nacional do espetáculo «Playing with Beethoven», que junta, num quarteto de luxo, Carlos Bica (contrabaixo), Daniel Erdmann (saxofone tenor), DJ Ilvibe (gira-discos) e João Paulo Esteves da Silva (piano).

Ainda nos concertos, destaque-se a estreia a sul do país do novo disco, «Eva», de Cristina Branco, remarcado para 5 de outubro deste ano (feriado nacional), após uma residência artística realizada em Loulé em outubro de 2019 da qual resultou a edição de vários videoclipes filmados no concelho com temas do novo álbum, o qual contou assim com o apoio do município de Loulé.

Por seu lado, o espetáculo musical com o grupo A Presença das Formigas foi reagendado para o dia 17 de outubro, no âmbito do projeto intermunicipal «Central Artes – Programação Cultural em Rede», que integra as autarquias de Loulé, Faro, Albufeira, Tavira e Olhão.

Já o X Fitualle (festival), da Tuna Universitária Afonsina de Loulé, realizar-se-á a 5 de dezembro deste ano no palco do Cineteatro, numa noite em que se celebra o espírito académico com a participação de várias tunas convidadas.

Ainda sobre a esperada retoma da sua programação regular, o Cineteatro Louletano implementará todas as adaptações que se mostrem necessárias de modo a garantir quer aos artistas, quer aos técnicos e demais equipas, quer ao público as melhores (e mais adequadas, atendendo à conjuntura) condições de segurança sanitária e higienização das suas instalações, de modo a que o seu funcionamento possa, com prudência, prevenção e sensatez, voltar à normalidade com a celeridade possível.

Para mais informações os interessados podem contactar o Cineteatro Louletano por email (cinereservas@cm-loule.pt). Além disso, podem consultar a sua página de Facebook ou o seu renovado website, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram.

O Cineteatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas do Município de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.