Carvoeiro é de novo PARAGEM para a Arte Contemporânea

  • Print Icon

Turismo cultural pé descalço, uma residencial artística «MariSol» e um Instituto de Socorros a Espetadores Náufragos são as novidades da PARAGEM.

Embora com menos recursos para esta quarta edição, e dando continuidade àquilo que tem sido uma aposta do município de Lagoa, está de regresso a PARAGEM – práticas artísticas contemporâneas em época balnear.

É já no próximo fim de semana, de 2 a 4 de setembro que as várias propostas acontecem, como tem sido hábito, inspiradas nas extravagâncias estivais das férias no Algarve, em espaços não convencionais.

Tanto podem ser unidades hoteleiras, ou as atrações locais como as rochas de Algar Seco, o passadiço de Carvoeiro ou as Grutas de Benagil, segundo explicam os diretores artísticos Filipa Brito e Nelson Guerreiro, da Bóia – Associação Cultural.

«Queremos continuar a contribuir para alargar essa noção de férias no Algarve, que se resume a banhos de sol e de mar, a mariscadas XXL e a sunsets parties, e por isso temos de criar oportunidades para o contacto imediato com obras de arte contemporânea», que revisitam «um imaginário balnear estereotipado mas que continua a estimular turistas nacionais e internacionais».

Este ano, o programa apresenta uma seleção de projetos nas áreas da música, teatro, dança e performance, mas também nas  artes visuais, literatura e cinema com banda sonora tocada ao vivo. Apostando, de novo, numa combinação de artistas de renome e jovens criadores.

«A escolha entre consagrados e emergentes tem a ver com a longevidade do percurso dos artistas e com uma certa afinidade estética. Desde a edição zero que tentamos criar uma comunidade imaginada que vai registando entradas e saídas, em renovação», explica Nelson Guerreiro.

Filipa Brito e Nelson Guerreiro.

E apresentar «uma ligação entre as artes e o pensamento contemporâneo, como vias de leitura e de intervenção no mundo circundante, e também com uma ligação direta ao património e à paisagem natural e construída».

Uma das novidades programáticas é aquilo a que os curadores chamam Residencial Artística «MariSol», já a pensar na edição de 2023. «Também nos interessa que conhecendo o território, os artistas façam propostas a partir da sua leitura dos lugares em termos de trabalho futuro. E por sua vez, reforçamos o carácter laboratorial do festival», acrescenta.

Outra novidade é o Instituto de Socorros a Espetadores Náufragos. «É uma ideia que resulta do constante diálogo que estabelecemos com esta realidade balnear. Apropriamo-nos de elementos que fazem parte deste universo, seja algo tão lúdico com as boias e os guarda-sóis, seja algo mais formal como o Instituto de Socorros a Náufragos. Claro, estamos a falar no plano metafórico. Por vezes, depois de assistirem às propostas programáticas, alguns espetadores chegam ao fim e dizem: não percebi nada!».

«Esse espanto também devia valer enquanto reação possível porque é algo que procuramos naturalmente, mas também percebemos que haja necessidade de um suplemento. Não será um manual de instruções de leitura. A ideia é darmos assistência, tal como os nadadores salvam pessoas, queremos manter o público próximo e a salvo de quaisquer afogamentos ou naufrágios. Vamos ter um posto onde os nossos nadadores-salvadores estéticos poderão estar ao dispor, em turnos», explica. Em casos extremos, poderá até haver respiração boca a boca (uma boa conversa, claro) para melhorar a fruição da PARAGEM. Farão turnos Maribel M. Sobreira, Patrícia Portela, Rogério Nuno Costa e Nelson Guerreiro.

Ilustração de Luísa Passos.

A dupla responsável admite que «a programação está cheia de narrativas e subtextos» e destaca, por exemplo, o trabalho de  Rogério Nuno Costa, performer, investigador, professor e escritor que desenvolve trabalho artístico transdisciplinar. Vive e trabalha entre Portugal e a Finlândia «e trabalha muito através da questão autobiográfica, o eixo-norte sul da Europa. Vai tratar esta relação das pessoas nórdicas que escolhem o Algarve como sua última morada, numa fase final da vida. Vamos ter a Sónia Baptista que vai fazer uma residência artística sobre o amores de verão. Teremos a Patrícia Portela que está iniciar uma nova era, um projeto de escrita novo e que irá desembocar em algo performativo e editorial».

Por fim, a PARAGEM recupera uma prática desativada por questões de segurança, aquando as avionetas atiravam brindes publicitários aos banhistas. «Este ano teremos ao longo dos três dias a oferta de vários souvenirs da autoria de artistas transdisciplinares, tais como Nayara Siler, Mafalda Mestre Pires, e da dupla artística UMA (Filipa Brito & Inês Brito). Todas as propostas são de acesso livre.

Programa

Sexta-feira, dia 2 de setembro
• 18h00 – Ponto de Encontro
Algar Seco (Praia do Carvoeiro)
• 18h30 – «Guerrero Notebook: sem diálogo vivo»
Uma conferência-performance de Nelson Guerreiro
• 19h00 – Inauguração da Exposição de Artes Visuais na paisagem «Turismo Cultural Pé Descalço: intervenções artísticas perenes até à sua desaparição»
Curadoria Filipa Brito & Nelson Guerreiro. Obras de Vasco Costa, Rubene Palma, Antónia Labaredas & Filipe Feijão, e Sara & André.
• Desenhos de Luísa Passos
Local: Passadiço de Carvoeiro
Sábado, dia 3 de setembro
• «n-saio», um passeio performativo aquático para uma pessoa de Eunice Artur
Local: Praia de Vale Centeanes
Horário: a definir e dependente da maré e das condições atmosféricas
• «Splashercize»
Uma performance sub-aquática de Vânia Rovisco
Local: Piscinas do Monte Santo Resort
• «espelha minha, espelha minha»
uma performance de Electro-Domésticas (Filipa Brito & Lara Boticário)
Local: Algar Seco
• «Animal»
Uma performance de Vanda Madureira
Local: Algar Seco
• 20h30 – Live-Act Riva Mut
Local: Anfiteatro da Nossa Senhora da Encarnação
Domingo, dia 4 de setembro
• 21h30 – «Silvado» (Cinema e Música)
Apresentação do filme de João Ferro Martins. A partir de película Super 8 de arquivos familiares diversos, filme digitalizado e editado pelo autor, música ao vivo. Banda sonora ao vivo por André Tasso.
Local: Anfiteatro da Nossa Senhora da Encarnação
• 22h30 – Live-Act de Golden Diskó Ship
(Música & Vídeo)
Anfiteatro da Nossa Senhora da Encarnação