Amaro Freitas celebra Dia Internacional do Jazz no Cineteatro Louletano

  • Print Icon

Será um dos dois concertos do músico em Portugal.

O pianista Amaro Freitas, uma das grandes revelações do Jazz Internacional, estará em Loulé no Dia Internacional do Jazz, sábado, 30 de abril, misturando sons e raízes do nordeste brasileiro com a sonoridade do jazz em piano, contrabaixo e bateria, num concerto raro que faz parte da tour europeia, a ter lugar no Cineteatro Louletano.

Este é um dos dois concertos que o músico dará em Portugal – o outro será a norte, em Espinho -, sendo «uma oportunidade única para ver e ouvir um instrumentista e compositor que tem vindo a conquistar território na cena jazzística mundial e que tem obtido enorme reconhecimento pela crítica», agora que apresenta o seu terceiro álbum de originais, «Sankofa».

O espetáculo de Loulé baseia-se num trabalho profundamente inventivo, que recolheu elogios da generalidade da imprensa e da crítica especializada. A UNCUT considera-o um disco «impressionante, novo e vibrante». A Downbeat colocou-o na linhagem de nomes como Abdullah Ibrahim, Thelonius Monk e Chick Corea. A Jazzwise classificou-o como um «álbum magnífico, repleto de ideias inesquecíveis e sonoridades cativantes», e a Mojo avaliou-o com uma rapsódia que releva o «elaborado estilo composicional» do seu autor.

«Sankofa» é um resgate da cultura afro-brasileira a partir de composições vibrantes e ecléticas que recolheram elogios do público e da imprensa internacional.

O nome advém de um dos símbolos Adinkra, ideogramas que representam conceitos, criados pelos povos africanos Akan, na região de Gana, como forma de comunicação. O símbolo «Sankofa» representa um pássaro com a cabeça voltada para trás, expressando assim a vontade de Amaro Freitas em voltar às raízes para poder avançar em novos voos, sonhos e futuros.

O álbum – diz – «é uma busca espiritual por histórias esquecidas, filosofias antigas e figuras inspiradoras do Brasil Negro». Um trabalho onde o músico, nascido em 1991, procura entender a história dos seus ancestrais, traduzindo sonoramente «a herança e a memória dos povos negros que fizeram a história do Brasil e cujo património cultural e filosófico foi historicamente invisibilizado».

O concerto de Loulé faz parte da tour europeia que teve início a 27 de abril, em França e termina a 21 de maio na Suíça, passando por vários locais emblemáticos e de referência como o Festival X-Jazz (Berlim), Jazz Café (Londres) e Moods (Zurique).