• Print Icon

AMAL renova parceria com Instituto Lusíada de Cultura para consolidação do Museu Zer0, em Santa Catarina da Fonte do Bispo, Tavira.

O Museu Zer0 promove iniciativas de educação e formação de públicos para a arte digital, tendo já chegado a milhares de alunos de escolas do Algarve.

A renovação do acordo, por mais três anos, contribui para consolidar um projeto que tem um caráter inédito no país.

No novo contrato, o Instituto Lusíada de Cultura compromete-se a assegurar uma estreita ligação entre as suas atividades e os planos Cultural de Escola.

Em vigor desde janeiro de 2020, a parceria com o Instituto Lusíada de Cultura prevê a realização de «ações que promovam a instalação do Museu Zer0, o funcionamento e promoção do seu reconhecimento regional e internacional, em particular através de iniciativas de educação e formação de públicos, para a arte contemporânea na sua vertente digital».

Dados do Instituto revelam que, desde o início do acordo, este projeto de sensibilização para a arte digital, já chegou a cerca de 6.000 alunos, em 40 escolas de 23 agrupamentos, envolvendo 80 professores de 30 disciplinas diferentes, em 15 dos 16 concelhos algarvios.

Neste contexto, os municípios do Algarve aprovaram, na última reunião do Conselho Intermunicipal da AMAL, a renovação deste acordo de parceria, reconhecendo:

  • a importância do fomento das artes e da cultura como pilar estruturante do processo de desenvolvimento regional;
  • a importância deste projeto, como sendo de grande valor para a sociedade e cultura algarvias, tendo em conta os seus objetivos, apostas estratégicas, áreas artísticas e recursos colocados à disposição de criadores, programadores, investigadores e parceiros, tendo as suas prioridades e atividades devidamente estruturadas, em especial ao nível da formação de públicos, e em particular junto das comunidades escolares.

No novo contrato, o Instituto Lusíada de Cultura compromete-se, ainda, a assegurar uma estreita ligação entre as suas atividades e os planos Cultural de Escola, preparados pelos agrupamentos aderentes ao Plano Nacional de Artes, promovendo o seu contributo para a realização de iniciativas de fomento dos valores culturais de forma interdisciplinar.

Os 16 municípios irão comparticipar com um valor global anual de 36 mil euros, sendo que a comparticipação financeira de cada um deles tem em conta critérios como o número de população total e o número de alunos dos ensinos básico e secundário.

Fundado em 1982 e declarado de utilidade pública em 1991, o Instituto Lusíada de Cultura é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, que deliberou patrocinar a criação do Museu Zer0, um Centro de Exposição de Arte Contemporânea com especial foco na arte digital, o que lhe confere um carácter inédito em Portugal.