AMAL reafirma apoio à Faro Capital Europeia da Cultura 2027

  • Print Icon

Municípios do Algarve reafirmam compromisso de participação na iniciativa Faro Capital Europeia da Cultura 2027.

Dois anos depois de formalizarem o seu papel na coprodução da Candidatura de Faro Capital Europeia da Cultura 2027, os municípios do Algarve manifestam o seu compromisso político e financeiro de participação no projeto.

Em novembro de 2019, aquando da assinatura dos Acordos de Colaboração entre o município de Faro e a AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve, a Região de Turismo do Algarve (RTA) e a Universidade do Algarve (UAlg), os municípios da região concordaram que a Capital Europeia da Cultura justificava o envolvimento e o empenho de todos.

Entenderam que esta, enquanto uma das mais reconhecidas iniciativas da União Europeia, tem uma abrangente capacidade transformadora sobre o território e uma elevada capacidade de multiplicar o investimento, com significativo impacto na região.

No dia 5 de novembro, os 16 municípios aprovaram, na reunião do Conselho Intermunicipal, uma manifestação de interesse coletivo de investimento regional no âmbito da Candidatura de Faro Capital Europeia da Cultura.

Reconhecem que a candidatura é um «desiderato coletivo, merecedor de um compromisso abrangente e duradouro, constituindo uma oportunidade única e marcante para o Algarve».

Deliberou-se, assim, considerando a componente regional do projeto, uma manifestação de interesse coletivo de investimento regional, num valor estimado em 16 milhões de euros.

O município de Faro investirá 10,6 milhões de euros e a verba remanescente será repartida pelos outros 15 municípios, de acordo com um critério de distribuição a fixar. O investimento deverá concretizar-se entre 2023 e 2028.

O orçamento total previsional, que ascende a 76 milhões de euros, será, também, assegurado pelo Governo, por fundos europeus e ainda pelo sector privado.

Importa sublinhar que a decisão, unânime, teve em conta o facto de o investimento ser direcionado para programas de criação de capacidade regional; de potenciar o tecido cultural regional, oferecendo capacitação e oportunidades de internacionalização com acesso a novas parcerias e redes e de trazer um aumento do número de visitantes, acompanhado do incremento da notoriedade do destino Algarve junto de novos públicos.