Mau tempo: Dezenas de inundações e quedas de árvores, um morto em Pombal

  • Print Icon

Fonte do Serviço Nacional de Bombeiros e da Protecção Civil disse à agê ncia Lusa que ao longo da noite se registou em todo o país a queda de 205 árvore s, 33 deslizamentos de terras e 463 inundações domésticas e nas vias públicas, s endo que 160 são no distrito de Lisboa.

A mesma fonte adiantou que Lisboa, Santarém, Leiria, Coimbra e Castelo Branco são os distritos mais afectados pelo mau tempo.

Na Serra da Estrela, a estrada Piornos-Manteigas estava cortada às 8:30 devido a deslizamento de terras.

De acordo com o SNBPC, as localidades mais afectadas foram a dos concel hos de Ourém, Leiria, Pombal e Porto de Mós.

A Câmara Municipal de Pombal accionou o Plano Municipal de Emergência p ara fazer face à situação causada pelo mau tempo.

Segundo o presidente da autarquia, Narciso Mota, “os prejuízos são inca lculáveis.

“Parte da cidade está sem luz, há calçadas levantadas, ribeiras obstruí das, caves de edifícios inundadas e supermercados danificados”, disse o autarca.

Narciso Mota adiantou também que uma mulher, com cerca de 80 anos “que sofria de problemas de coração”, morreu hoje de madrugada em Pombal, devido a um a inundação.

A cidade de Fátima foi afectada por chuva e vento fortes, que provocara m inundações de caves, quedas de muros e deslizamentos de terras e entulhos para as estradas.

Também os concelhos de Coimbra, Condeixa, Souselas e Montemor, no distr ito de Coimbra, registaram muitas inundações em especial de carácter urbano, emb ora em menor grau.

Nos distritos a sul do Tejo, os Centros Distritais Operacionais de Soco rro (CDOS) de Portalegre, Setúbal, Évora, Beja e Faro disseram à Lusa que não tê m conhecimento de danos humanos causados pelo mau tempo.

Em Portalegre, foram registadas durante a noite quedas de árvores na vi a pública e em vários concelhos.

No distrito de Setúbal, os bombeiros deslocaram-se a 80 inundações urba nas – domésticas e na via pública – a maioria nos concelhos de Setúbal e Alcácer do Sal.

Fonte do CDOS de Évora disse à Lusa que os bombeiros dos vários concelh os removeram 23 árvores caídas, deslocaram-se a sete inundações urbanas e tivera m de proceder à lavagem de duas vias, devido a acumulação de terras.

Nos distritos de Beja e Faro há o registo de árvores caídas.

Quanto à região Norte, um aluimento de terras na Estrada Nacional 220, em Moncorvo, e inundações em garagens foram as principais ocorrências motivadas pelo mau tempo ao longo da noite nos distritos de Porto, Bragança, Braga, Viana do Castelo e Vila Real.

No que diz respeito ao trânsito, na zona da Redinha Pombal, registou-se alguma acumulação de água no IC 2 (antiga Estrada Nacional 1), mas sem afectar a circulação, disse a mesma fonte.

As zonas da Cova da Iria/Fátima, no distrito de Santarém, e os concelho s de Leiria, Pombal e Porto de Mós são os mais afectados pelas inundações, verif icando-se vastos lençóis de água naquela zona, em especial na Cova da iria.

Segundo o SNBPC, na Cova da Iria as chuvas fortes inundaram muitas loja s.

Em Lisboa, os Sapadores de Bombeiros de Lisboa registaram entre as 22:2 0 e as 06:30 de hoje na capital 160 pedidos de ajuda devido ao mau tempo.

“Registámos inundações em habitações na via pública mas sem danos mater iais”, disse fonte da corporação, adiantando que “se registaram algumas quedas d e árvores”.

Além de receber pedidos de ajuda, os Sapadores estiveram a limpar a via pública na zona do Estádio da Tapadinha, em Alcântara, depois de terem desimped ido a zona da Calçada da Carriche, à entrada da capital, que esteve encerrada ao trânsito no sentido Odivelas-Lisboa.

Fonte da PSP trânsito disse à Lusa que às 07:30 não havia registo de pr oblemas relevantes nas estradas com excepção da Calçada de Carriche que devido à inundação ocorrida durante a noite ficou com lama na via.

A circulação da linha ferroviária do Norte está suspensa entre Souselas e Coimbra B devido ao alagamento da via, enquanto a linha ferroviária do Algarv e está parada entre Tunes e Faro, disse fonte da Refer.

De acordo com o porta-voz da Refer – Rede Ferroviária, a circulação na linha do Norte está suspensa desde as 06h45 devido à acumulação de água, desconh ecendo-se para já quando é que será retomada.

Na linha do Algarve, o vento forte fez cair uma catenária – mecanismo q ue fornece energia aos comboios – entre Tunes e Faro, pelo que este troço está suspenso desde as 07h00.

No que diz respeito às travessias fluviais em Lisboa, fonte da Transtejo disse à Lusa que o mau tempo não afectou a circulação, que está a decorrer com normalidade.